sexta-feira, 31 de maio de 2013

(Devocional) Humanamente impossível! - Is. 40:27-31

Sexta-feira, 31 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Isaías 36-40

"Por que dizes, ó Jacó, e tu falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao SENHOR, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão; mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão."
Isaías 40:27-31 

Esta passagem trata da defesa que Deus apresenta relativamente à acusação de que Deus não se preocupa, ou então, não tem tempo ou energias para lidar com todos os nossos problemas e preocupações (v. 27). A pessoa que diz que Deus está demasiado ocupado para Se preocupar com os seus problemas é a pessoa que tem assuntos que preferia que Deus deles Se não ocupasse. Através do profeta Isaías aprendemos que Deus nunca Se cansa (v. 28). Com isto em mente, chegamos facilmente à conclusão que Deus vê todas as coisas e Se preocupa com todos os nossos problemas. Nenhum verdadeiro filho de Deus pode alguma vez dizer, “estou só!”, ou “ninguém me entende!”, ou ainda “ninguém se preocupa comigo!” Se já nascemos de novo, por fé em Jesus Cristo, temos Deus como Pai e nunca estaremos sozinhos. Para além de nunca Se cansar, Deus promete ainda vigor e forças para todos os que deles tiverem falta (v. 29). É hábito dizer-se que viver cansa e isso é particularmente verdade para o crente. O crente passa os seus dias lutando contra a oposição da carne. O crente passa os seus dias esforçadamente atento para as armadilhas do inimigo. O crente passa os seus dias lidando com a oposição dos inimigos de Deus. Por isso é que é hábito dizer-se que a vida cristã é humanamente impossível. Temos, portanto, em Deus, a energia e o vigor que precisamos. É possível viver para o Senhor, pois Ele promete a força que nos falta.       

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

quinta-feira, 30 de maio de 2013

(Devocional) De coração pronto - Sl. 95:7-11

Quinta-feira, 30 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 91-95

"Porque ele é o nosso Deus, e nós povo do seu pasto e ovelhas da sua mão. Se hoje ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, assim como na provocação e como no dia da tentação no deserto; quando vossos pais me tentaram, me provaram, e viram a minha obra. Quarenta anos estive desgostado com esta geração, e disse: É um povo que erra de coração, e não tem conhecido os meus caminhos. A quem jurei na minha ira que não entrarão no meu repouso."
Salmo 95:7-11 

Deus é Deus. Ele é. Está acima de nós, desde sempre e para sempre. Mesmo assim, Ele escolheu vir ao nosso encontro. Não o merecemos, mas Ele é assim mesmo, gracioso e amoroso, pronto a perdoar as nossas ofensas para que possamos ter comunhão com Ele. Mesmo estando de tal forma abaixo Dele, podemos ouvir a Sua voz. Existem tantas pessoas que mudam radicalmente as suas vidas por terem ouvido alguma voz. Então, podermos ouvir a voz verdadeira do Deus verdadeiro é o maior privilégio de todos. Este salmo diz-nos para não endurecermos os nossos corações quando escutarmos a Sua voz. Endurecemos os nossos corações quando, no nosso orgulho, nos convencemos que está tudo bem connosco e que não precisamos de mudar. Isto nunca será verdade. Enquanto estivermos nesta carne, seremos sempre uma obra inacabada, em direcção à imagem de Cristo. Assim, se nos quisermos aproximar do nosso Mestre teremos, não só de ouvir a Sua voz, teremos de a colocar em prática. Não adianta escutarmos que não estivermos dispostos a obedecer. Depois de obedecermos, Deus chama-nos a continuar nas lições aprendidas. Ele próprio será a nossa força para o fazermos. Assim, humildade é a palavra chave. A voz de Deus quer dizer-nos o que é errado, como corrigí-lo, o que está certo e como continuar a fazer o que é certo. Não endureçamos os nossos corações.        

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

quarta-feira, 29 de maio de 2013

(Devocional) Defender a fé - Deut. 7:1-11

Quarta-feira, 29 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Deuteronómio 6-10

"Quando o SENHOR teu Deus te houver introduzido na terra, à qual vais para a possuir, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti, os heteus, e os girgaseus, e os amorreus, e os cananeus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; e o SENHOR teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas; nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do SENHOR se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria. porém assim lhes fareis: Derrubareis os seus altares, quebrareis as suas estátuas; e cortareis os seus bosques, e queimareis a fogo as suas imagens de escultura. Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra. O SENHOR não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos; mas, porque o SENHOR vos amava, e para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão forte e vos resgatou da casa da servidão, da mão de Faraó, rei do Egito. Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos. E retribui no rosto qualquer dos que o odeiam, fazendo-o perecer; não será tardio ao que o odeia; em seu rosto lho pagará. Guarda, pois, os mandamentos e os estatutos e os juízos que hoje te mando cumprir."
Deuteronómio 7:1-11  

Deus dá ao povo todas as informações necessárias para a sua entrada na Terra Prometida, da mesma maneira que nos dá, na Sua Palavra, tudo o que precisamos para a nossa vida (II Pe. 1:3). Eles estariam rodeados de grandes ameaças (v. 1). Por causa da sua iniquidade, Deus já tinha decidido julgar estes povos. Israel seria a ferramenta usada por Deus para cumprir a sua vontade. No entanto, aos olhos dos judeus, os povos que eles tinham de conquistar eram ameaças reais. Não sabemos tudo o que Deus quer realizar através de nós. Nem precisamos de saber todas as razões de Deus. Sabemos, no entanto, que estamos rodeados de perigos. Existem à nossa volta inimigos da fé que atacam insistentemente a verdade das Escrituras. Deus não queria que houvesse mistura entre o Seu povo e os povos cananitas. De igual forma, continua a não ser aceitável qualquer mistura entre verdade e erro, entre a luz e as trevas. Deus manda os judeus destruírem todos os locais e utensílios dos cultos pagãos aos falsos deuses. Desperdício? O Senhor conhecia o coração do povo e sabia que quanto mais tempo passassem a olhar para o erro, mais influência o erro teria nas suas vidas. É possível saber o que é certo e o que é errado. Temos a Bíblia para nos guiar. Vale a pena defender a fé que recebemos. Esse deve ser o nosso juramento (v. 8). Não dar lugar ao erro e à confusão.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

terça-feira, 28 de maio de 2013

(Devocional) Contar os dias - Sl. 90:9-12

Terça-feira, 28 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 86-90

"Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; passamos os nossos anos como um conto que se conta. Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando. Quem conhece o poder da tua ira? Segundo és tremendo, assim é o teu furor. Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios."
Salmos 90:9-12  

Este é um salmo sobre a vida. A vida é um dom, presente de Deus. Deve ser valorizada, apreciada e fazemos bem em pensar um pouco sobre a mesma. A vida é muito, muito breve (v. 5). Se pensarmos na eternidade de Deus, nos milhares de anos em que existe o nosso mundo, os anos da nossa vida, em comparação, parecem nada. São mesmo comparáveis a um sono, do qual não nos lembramos, apenas sabemos que já passou. O facto de a vida ser assim tão breve leva-nos, também, à conlusão que a vida é uma vaidade. A palavra vaidade quer dizer “aquilo que é vão”. Por ser tão breve e passageira, a vida não tem qualquer valor em si mesma. Aqui chegamos ao valor da oração do salmista (v. 12). Se a vida não vale nada em si mesma, então temos de lhe acrescentar valor. Temos de fazer a nossa vida contar. Os nossos dias têm de contar para alguma coisa. Como? Um bom ponto de partida é descobrir porque é que aqui estamos. A verdade é que fomos criados por Deus para a Sua glória. Todas as pessoas que permanecem nos seus pecados e não nascem de novo por Jesus Cristo, passam ao lado do propósito das suas vidas, por muito que façam, e desperdiçam toda a eternidade em condenação e sofrimento. Fomos criados para servir. Se nos submetermos ao Criador, Ele irá viver em nós a vida que interessa viver. Os nossos dias irão contar para algo, e continuaremos a servi-Lo por toda a eternidade. A vida é passageira, mas podemos fazer com que ela conte para a glória de Deus!

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

segunda-feira, 27 de maio de 2013

(Devocional) Jesus é digno - Ap. 5:1-5

Segunda-feira, 27 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária:Apocalipse 1-5

 "E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos. E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos? E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele. E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos."
Apocalipse 5:1-5  

A base do testemunho de João é constituída por visões que Deus permite que ele tenha. Deus aparece nesta visão como Alguém que está no perfeito controlo de todas as coisas. É na Sua mão que está o livro. Nada acontece sem o Seu conhecimento e acontece que O surpreenda. Esta é, também, uma visão dramática. O apóstolo vê um livro perfeitamente selado (v. 1). De tal forma o livro era perfeito que era necessário um homem perfeito para abrir o livro. Procurou-se e não se achava ninguém que fosse digno de desatar os selos. Era obviamente algo importante e que entristeceu o apóstolo João. Mesmo se eu ou você tivéssemos sido chamados a tentar, não teríamos conseguido. Somos pecadores e indignos de acordo com o perfeito padrão de Deus. Estas palavras obrigam-nos a pensar na nossa condição. Como é grande o orgulho humano? Como é que alguém pensa que pode ficar diante de Deus, apenas com as suas obras, e ser considerado digno? Como é destrutivo este engano! Ainda bem que esta passagem não acaba no versículo 4! Existe um que é digno, “o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro”. Jesus é o Messias prometido desde o princípio. Ele venceu todos os nossos inimigos, incluindo a morte. Ainda bem que não temos que enfrentar a eternidade sozinhos. Temos um Salvador, Alguém que enfrentou os perigos em nosso lugar e morreu pelos nossos pecados. Glória seja dada ao Seu nome para sempre.    

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

domingo, 26 de maio de 2013

(Devocional) Agora, me levantarei - Is. 33:1-12

Domingo, 26 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária:Isaías 31-35

"Ai de ti, despojador, que não foste despojado, e que procedes perfidamente contra os que não procederam perfidamente contra ti! Acabando tu de despojar, serás despojado; e, acabando tu de tratar perfidamente, perfidamente te tratarão. SENHOR, tem misericórdia de nós, por ti temos esperado; sê tu o nosso braço cada manhã, como também a nossa salvação no tempo da tribulação. Ao ruído do tumulto fugirão os povos; à tua exaltação as nações serão dispersas. Então ajuntar-se-á o vosso despojo como se ajunta a lagarta; como os gafanhotos saltam, assim ele saltará sobre eles. O SENHOR está exaltado, pois habita nas alturas; encheu a Sião de juízo e justiça. E haverá estabilidade nos teus tempos, abundância de salvação, sabedoria e conhecimento; e o temor do SENHOR será o seu tesouro. Eis que os seus embaixadores estão clamando de fora; e os mensageiros de paz estão chorando amargamente. As estradas estão desoladas, cessou o que passava pela vereda, ele rompeu a aliança, desprezou as cidades, e já não faz caso dos homens. A terra geme e pranteia, o Líbano se envergonha e se murcha; Sarom se tornou como um deserto; e Basã e Carmelo foram sacudidos. Agora, pois, me levantarei, diz o SENHOR; agora me erguerei. Agora serei exaltado. Concebestes palha, dareis à luz restolho; e o vosso espírito vos devorará como o fogo. E os povos serão como as queimas de cal; como espinhos cortados arderão no fogo."
Isaías 33:1-12  

A Assíria era o reino ao qual Deus tinha permitido que invadisse e despojasse o reino de Israel. Isso não queria dizer que Deus tinha perdido o Seu poder de protecção sobre o Seu povo, apenas que o povo estava tão longe de Deus que esta era a única forma de lhes chamar a atenção. No entanto, este inimigo de Israel, que parecia a todos imensamente poderoso, estava prestes a passar de despojador a despojado. Quem o poderia prever? Não era este o império que duraria para sempre? Completamente perdidos e sem esperança de salvação, o povo de Israel orou a Deus na sua angústia. Finalmente estavam dispostos a voltarem-se dos seus ídolos ao único Deus, que sabiam ser o verdadeiro Deus. Temos de saber para quem nos virar nos momentos difíceis. Sabemos que teremos aflições. O Senhor nos avisou desse facto. Então, no meio da aflição temos de permanecer ou nos voltarmos para Deus. São muitos os que prometem paz no meio dos problemas, apenas Deus é a fonte da verdadeira paz. E apenas Deus pode agir verdadeiramente sobre os acontecimentos do mundo. Como o nosso Deus é maravilhoso! Este é o mesmo povo que O tinha desprezado e substituído por reles imitações. Mesmo assim, o Senhor respondeu e levantou-Se perante a oração do Seu povo. A Assíria, então, encontrou o seu fim. A nação que pensava estar a destruir o culto ao Deus verdadeiro, estava a colocar em prática o plano das Suas mãos. Que todos sejamos servos sinceros do Deus verdadeiro. 

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

sábado, 25 de maio de 2013

(Devocional) Graça ou dissolução - Jd. 3-8

Sábado, 25 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Judas

"Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo. Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram; e aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno."
Judas 3-8  

Esta passagem começa por nos ensinar um pouco acerca de como a Bíblia foi escrita. A intenção de Judas era escrever sobre a salvação, mas foi levado a escrever sobre batalhar pela fé. Neste sentido, fé é o conjunto dos ensinamentos recebidos. A Bíblia é um livro sempre actual. Assim, a doutrina não é algo que evolua. A doutrina é algo que recebemos e que temos de defender activamente. A razão porque temos de batalhar pela fé é que existem alguns que insistem em ensinar e praticar coisas contrárias à fé que recebemos. Estes falsos ensinamentos já existiam nos tempos em que esta carta estava a ser escrita e, certamente existem hoje também. Judas dá o exemplo que alguns que transformavam em dissolução a graça de Deus (v. 4). A graça de Deus é algo maravilhoso. Pela graça recebemos das mãos amorosas do Pai bênçãos que não merecemos. Alguns estavam a aproveitar a graça de Deus em desculpas para fazer o que era errado. Judas aproveita para dar o exemplo dos judeus, saídos do Egipto, e dos anjos que desobedeceram a Deus. Apesar de serem parte do povo de Deus, ou do Seu exército celestial, Deus ainda assim castigou duramente o pecado cometido. A graça de Deus não se pode tornar numa desculpa para desobedecer à Sua Palavra. Também é dado o exemplo de Sodoma e Gomorra, cidades envolvidas com o pecado da homossexualidade. Também estes pensavam que Deus era bom de mais para castigar o pecado. Apreciemos, em obediência e temor, a graça do nosso Deus.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

sexta-feira, 24 de maio de 2013

(Devocional) O testemunho dos irmãos - 3 Jo. 3-8

Sexta-feira, 24 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 3 João

"Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram, e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade. Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes para com os irmãos, e para com os estranhos, que em presença da igreja testificaram do teu amor; aos quais, se conduzires como é digno para com Deus, bem farás; porque pelo seu Nome saíram, nada tomando dos gentios. Portanto, aos tais devemos receber, para que sejamos cooperadores da verdade."
3 João 3-8  

O apóstolo João continua esta sua carta a um membro de uma igreja local de nome Gaio. Haviam chegado uns irmãos daquela localidade até onde João estava e estes deram muito bom testemunho da forma como foram recebidos por Gaio. Mas o melhor testemunho que eles deram de Gaio foi de que ele andava na verdade. Este facto alegrou imensamente o apóstolo João, que um dos seus filhos andava na verdade (v. 4). Andar na verdade é algo que começa de se ter um bom relacionamento com o Deus vivo, através da Pessoa de Jesus Cristo. Isto é algo íntimo e que começa no coração. Como então é que estes irmãos conseguiam ver que Gaio andava na verdade? Devido às suas obras. A caminhada deste irmão com Deus era óbvia e percebia-se através da sua prática cristã de receber com hospitalidade os servos de Deus (v. 5). Obviamente que ele não deveria receber assim a todos os que, dizendo-se irmãos, apenas queriam aproveitar-se da generosidade cristã. No entanto, a hospitalidade era, e deve continuar a ser, uma das marcas do povo de Deus (v. 8). E você? Como é que você anda? Você está a andar na verdade? Se você estiver a andar intimamente com Deus, isso irá ser óbvio para os outros. O seu amor e serviço a Deus irá naturalmente extravazar em amor e serviço ao próximo. Tenha como objectivo ser a causa pela qual Deus recebe graças. Isto é, quando os irmãos derem bom testemunho de si, é Deus que receberá toda a glória.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

quinta-feira, 23 de maio de 2013

(Devocional) Átrios de Deus ou tendas de impiedade? - Sl. 84:8-12

Quinta-feira, 23 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 81-85

"SENHOR Deus dos Exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó! (Selá.) Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido. Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios. Porque o SENHOR Deus é um sol e escudo; o SENHOR dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão. SENHOR dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança."
Salmo 84:8-12 

Nesta passagem, o salmista compara estar na presença de Deus com estar longe de Deus. Será que estas duas realidades são sequer comparáveis? No entanto, sempre que não estamos tão próximos de Deus como sabemos que deveríamos estar, convencemo-nos que estamos melhor com os nossos próprios caminhos do que se estivéssemos na perfeita presença de Deus. Em primeiro lugar temos de estar conscientes que Deus sempre nos escuta quando estamos na Sua presença. É bom termos Alguém que nos escute. Muitas pessoas são destruídas por sentimentos de solidão. Quem está na presença do Rei, tem sempre Alguém interessado naquilo que tem para dizer. Em sgundo lugar, Deus é o nosso escudo (v. 9). Um escudo é um intrumento de defesa pessoal. A Bíblia ensina-nos que o inimigo lança contra nós dardos inflamados. Se não estivermos por detrás do escudo defensivo de Deus, seremos atingidos pela artilharia inimiga. É Nele que estamos em segurança. Assim, o salmista chega à conclusão que mais vale um dia na presença de Deus do que mil em qualquer outro lugar. Isso é verdade para qualquer situação, por muito atraentes que pareçam as soluções propostas pela nossa carne ou pelo inimigo das nossas almas. Podemos, com base neste verdade, afirmar que a mais baixa posição no Reino de Deus é muito melhor do que a mais elevada posição que o mundo tenha para oferecer. Como chegar, então, a este lugar? A receita é simples, temos de colocar Nele, e Nele somente, toda a nossa confiança (v. 12).             

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).       

quarta-feira, 22 de maio de 2013

(Devocional) Lembrar de não esquecer - Deut. 1:1-8

Quarta-feira, 22 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Deuteronómio 1-5

"Estas são as palavras que Moisés falou a todo o Israel além do Jordão, no deserto, na planície defronte do Mar Vermelho, entre Parã e Tófel, e Labã, e Hazerote, e Di-Zaabe. Onze jornadas há desde Horebe, caminho do monte Seir, até Cades-Barnéia. E sucedeu que, no ano quadragésimo, no mês undécimo, no primeiro dia do mês, Moisés falou aos filhos de Israel, conforme a tudo o que o SENHOR lhe mandara acerca deles. Depois que feriu a Siom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom, e a Ogue, rei de Basã, que habitava em Astarote, em Edrei. Além do Jordão, na terra de Moabe, começou Moisés a declarar esta lei, dizendo: o SENHOR nosso Deus nos falou em Horebe, dizendo: Assaz vos haveis demorado neste monte. Voltai-vos, e parti, e ide à montanha dos amorreus, e a todos os seus vizinhos, à planície, e à montanha, e ao vale, e ao sul, e à margem do mar; à terra dos cananeus, e ao Líbano, até ao grande rio, o rio Eufrates. Eis que tenho posto esta terra diante de vós; entrai e possuí a terra que o SENHOR jurou a vossos pais, Abraão, Isaque e Jacó, que a daria a eles e à sua descendência depois deles."  

Moisés aproveita a introdução deste seu último livro para olhar para trás e relembrar as lições do passado. Como líder apontado e equipado por Deus, Moisés sabia que as mais úteis lições para o futuro, encontram-se na lembrança do passado. Tudo o que já passámos, mesmo os piores erros cometidos, pode ser usado por Deus para nos preparar para grandes coisas. No passado não habitam apenas as memórias dos erros cometidos. No passado está também a recordação das vitórias alcançadas (v. 4). O Senhor já ganhou grandes batalhas na sua vida? Porque é que essas serão mais facilmente esquecidas? Façamos um esforço para lembrar o grande Deus que servimos e o Seu amor por nós. Outra coisa que precisamos ter o hábito de recordar, é o que sabemos da eterna Palavra de Deus. Da mesma maneira que Deus falou com o povo em Horebe (v. 6), Ele também falou connosco. Na nossa leitura bíblica diária, nas pregações escutadas, Deus quer falar consigo e dar lições para toda a sua vida. Muitos são os crentes que se lembram de palavras lidas ou escutadas e que moldaram a sua maneira de ver a vida e o mundo. Que grandes lições já aprendeu da Palavra? Faça o esforço de não esquecer. Finalmente, não nos devemos esquecer da promessa do nosso Deus. Para os judeus era a Terra Prometida (v. 8), para nós é a salvação e a vida eterna com Aquele que tanto nos amou. Que outras promessas de Deus são importantes para si?

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).       

terça-feira, 21 de maio de 2013

(Devocional) E o amor é este - 2 João 5-6

Terça-feira, 21 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 2 João

"E agora, senhora, rogo-te, não como se escrevesse um novo mandamento, mas aquele mesmo que desde o princípio tivemos: que nos amemos uns aos outros. E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este é o mandamento, como já desde o princípio ouvistes, que andeis nele."
2 João 5-6  

Muitos acreditam que quando João, escrevendo esta carta, se dirige a uma “senhora” que isto é uma forma elegante de ele se dirigir a uma igreja e que os filhos desta senhora são, na verdade os membros desta igreja. Penso que só na glória saberemos ao certo, mas agora João relembra um mandamento antigo. Este mandamento, que ouvimos da boca do Senhor Jesus, é importante para todos nós: devemos amar-nos uns aos outros. Na verdade, Jesus tinha explicado que a amor fraternal e sincero seria uma das marcas dos seguidores de Jesus. Ao olhar para uma igreja, qualquer descrente tem de ficar com esta impressão: “vejam como eles se amam!” Para vergonha nossa isto nem sempre é assim. Podemos perguntar, “como posso cumprir este mandamento e trazer mais amor para o meu relacionamento com os outros?” Penso que o v. 6 nos dá uma ajuda. Aprendemos aqui que o primeiro passo para amarmos o próximo é obedecermos a Deus. Deus é a fonte do mais puro amor. Quanto mais próximos estivermos Dele, mais amor teremos pelo nosso irmão. Ninguém pense que pode viver uma vida de desobediência (mesmo que aos olhos de todos esteja tudo bem, Deus sabe), e de alguma forma “fabricar” amor pelo próximo. Mas algo que é uma promessa desta passagem, sempre que a nossa caminhada com Deus estiver bem, também estará o nosso relacionamento cristão com os outros. Esta é uma boa promessa. Baseemos em Deus, o nosso amor fraterno. Senhor, ensina-me a amar.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     



segunda-feira, 20 de maio de 2013

(Devocional) Pessoas do Livro - Sl. 78:1-8

Segunda-feira, 20 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 78-80

"«Masquil de Asafe» Escutai a minha lei, povo meu; inclinai os vossos ouvidos às palavras da minha boca. Abrirei a minha boca numa parábola; falarei enigmas da antiguidade. Os quais temos ouvido e sabido, e nossos pais no-los têm contado. Não os encobriremos aos seus filhos, mostrando à geração futura os louvores do SENHOR, assim como a sua força e as maravilhas que fez. Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pós uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer a seus filhos; Para que a geração vindoura a soubesse, os filhos que nascessem, os quais se levantassem e a contassem a seus filhos; Para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos. E não fossem como seus pais, geração contumaz e rebelde, geração que não regeu o seu coração, e cujo espírito não foi fiel a Deus."  

A Bíblia é um Livro especial. Deus escolheu usar a Palavra escrita para comunicar com os homens. Assim, Deus propõe-Se a Si mesmo aos homens sem limitar a liberdade de escolha com que Ele mesmo os criou. A verdade está disponível a todos. Deus colocou por escrito e protegeu da destruição ao longo dos tempos a Sua perfeita vontade para os homens. Que privilégio podermos segurar nas mãos esta carta do amor do nosso Deus! Neste salmo, Deus nos diz para inclinarmos os ouvidos às Suas palavras. Fazemos bem em fazer um esforço consciente de busca pela vontade de Deus. É algo que devemos levar a sério e a que nos devemos dedicar. Não devemos ler a Bíblia apenas por ler, mas com a firme intenção de deixarmos Deus falar connosco. A Palavra de Deus deve ser tão importante para nós que a devemos deixar às gerações futuras (v. 4) como se de uma herança valiosa se tratasse. O objectivo deste livro (e isto deve ser muito bem explicado aos mais novos) não é ficar com um conhecimento intelectual ou dos factos nele contidos. O objectivo dos leitores da Bíblia deve ser encontrar Deus (v. 7). A Bíblia serve para encontrarmos uma Pessoa. As verdades nela contidas apenas são importantes porque vêm Dele. Ele quer, através das suas páginas, transformar as nossas vidas. A transformação que vale a pena ser feita é a transformação do coração (v. 8). Só Deus o pode fazer.     

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

domingo, 19 de maio de 2013

(Devocional) Como ter paz - Is. 26:1-4

Domingo, 19 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Isaías 26-30

 "Naquele dia se entoará este cântico na terra de Judá: Temos uma cidade forte, a que Deus pós a salvação por muros e antemuros. Abri as portas, para que entre nelas a nação justa, que observa a verdade. Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Confiai no SENHOR perpetuamente; porque o SENHOR DEUS é uma rocha eterna."
Isaías 26:1-4  

Gosto muito das certezas que encontramos nas páginas das Escrituras. Na Bíblia não existem suposições, existem certezas. É bom ver o profeta a dizer-nos o que irá acontecer durante o Reino do Messias. Não importam as lágrimas, as dores e as incertezas pelas quais passamos agora. Vai haver um dia em que vamos cantar um cântico ao Rei dos reis e Senhor dos senhores. É certo que estas são promessas para a nação de Israel. É também certo que todos os que estão em Cristo, reinarão com Ele, para a glória de Deus Pai. A Bíblia está cheia de promessas para os judeus. São promessas relativas à nação, à terra, ao templo, ao Reino. Por eles, Deus irá abençoar, também, todos os que colocam a sua fé em Cristo. O Messias vem de Israel e Ele é o Salvador do mundo. É nestas certezas que devemos repousar. Facilmente a nossa mente vagueia em pensamentos de incerteza, de medo e de falta de esperança. A promessa do v. 3, é para todos. Se mantivermos a nossa mente firme em Deus, teremos paz. Isto parece loucura para o homem natural, que está habituado a desesperar e julga que a incerteza, que o temor, que a confusão são elementos naturais da vida. No entanto, em Deus existe paz. Esta paz só pode ser gozada por aqueles que a recebem, por fé Naquele que a dá. Assim encontramos Deus como rocha, um lugar de segurança, que permanece, onde podemos repousar. Faça de Deus o seu lugar seguro.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

sábado, 18 de maio de 2013

(Devocional) Apresentar uma reclamação - Num. 36:1-4

Sexta-feira, 17 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 1 João 1-5

"E chegaram os chefes dos pais da família de Gileade, filho de Maquir, filho de Manassés, das famílias dos filhos de José, e falaram diante de Moisés, e diante dos príncipes, chefes dos pais dos filhos de Israel, e disseram: O SENHOR mandou a meu senhor que, por sorte, desse esta terra em herança aos filhos de Israel; e a meu senhor foi ordenado pelo SENHOR, que a herança do nosso irmão Zelofeade se desse às suas filhas. E, casando-se elas com alguns dos filhos das outras tribos dos filhos de Israel, então a sua herança será diminuída da herança de nossos pais, e acrescentada à herança da tribo a que vierem a pertencer; assim se tirará da sorte da nossa herança. Vindo também o ano do jubileu dos filhos de Israel, a sua herança será acrescentada à herança da tribo daqueles com que se casarem; assim a sua herança será tirada da herança da tribo de nossos pais."
Números 36:1-4  

Vemos aqui que a reclamação foi apresentada de uma forma correcta. Uma família teve apenas filhas. Se fossem aplicadas as regras conhecidas de casamentos e heranças, essa família iria acabar sem a sua herança dada pelo Senhor. O que fazer? Em primeiro lugar é bom termos estes casos na Palavra de Deus. Por vezes somos confrontados com situações de aparente injustiça. No “calor do momento” podemos ser tentados a “fazer justiça com as próprias mãos”. Este foi um caso que foi bem encarado. Há sempre uma forma correcta da lidar com as injustiças. O filho de Deus nunca ficam sem instrumentos de justiça. Ao contrário de outras ocasiões na história deste povo, foi evitada a murmuração. Não há nada mais destrutivo do que a coscuvilhice. Mesmo crentes filhos de Deus podem ser arrastados para isso. A regra de ouro: não fales do assunto se não fazes parte nem do problema, nem da solução. Depois vemos que foram os líderes que assumiram a responsabilidade de apresentar o que os outros deveriam estar a sentir. Temos nas nossas vidas uma estrutura de autoridade que deve ser respeitada e seguida. Os crentes são encorajados a obedecer e orar mesmo pelos governos injustos e incompetentes. Todas as autoridades nas nossas vidas estão lá por permissão de Deus (Rom. 13). Vemos isso a ser seguido porque a petição foi levada à pessoa certa. Finalmente, na petição apresentada é lembrado o que Deus tinha dito e não apenas uma vontade pessoal. Saibamos confiar em Deus na altura de apresentar e tratar das injustiças.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

sexta-feira, 17 de maio de 2013

(Devocional) Falsos espíritos - 1 Jo. 4:1-3

Sexta-feira, 17 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 1 João 1-5

"Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo."
1 João 4:1-3  

No passado houve alguns que ousaram pronunciar a morte da espiritualidade. A ciência e a racionalidade iriam libertar todo o mundo da opressão da espiritualidade. Voltaire disse que assistiria, no seu tempo de vida, ao fim da Bíblia. Essas previsões não se concretizaram. As pessoas continuam a buscar espiritualidade e a querer o que as transcende. Infelizmente, o inimigo sabe disto também e criou um sem número de outros espíritos para desviar e confundir as atenções. A verdade é que nem tudo o que é espiritual é de confiança. Nem tudo o que é inexplicável merece a nossa atenção. Nem todos os milagres provêm de Deus. A responsabilidade do crente é provar se os espíritos são de Deus. Esta passagem apresenta-nos um teste que é fundamental. Será que o ensinamento, espírito, profeta, pregador, religião ensina que “Jesus Cristo veio em carne”? A palavra Cristo significa “ungido”, ou seja o Messias, salvador e libertador. A palavra Jesus significa “Jeová é salvação”. Ou seja, se o espírito aceitar que Jesus é Jeová feito carne e único mediador entre Deus e os homens, então é uma muito boa indicação. Haviam, na altura em que João escreve esta carta, as heresias gnósticas que diziam que Jesus era apenas um espírito e que nunca tinha existido em carne e osso. Mas, na verdade, a maioria das religiões apresenta outros caminhos para Deus, como a salvação por obras. Assim, este teste prova-se válido para se ter uma noção se alguma ideia ou movimento é ou não de Deus.    

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

quinta-feira, 16 de maio de 2013

(Devocional) Quando parece que Deus não nos ouve - Sl. 77:1-10

Quinta-feira, 16 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 76-77

"«Salmo de Asafe, para o músico-mor, por Jedutum» Clamei a Deus com a minha voz, a Deus levantei a minha voz, e ele inclinou para mim os ouvidos. No dia da minha angústia busquei ao SENHOR; a minha mão se estendeu de noite, e não cessava; a minha alma recusava ser consolada. Lembrava-me de Deus, e me perturbei; queixava-me, e o meu espírito desfalecia. (Selá.) Sustentaste os meus olhos acordados; estou tão perturbado que não posso falar. Considerava os dias da antiguidade, os anos dos tempos antigos. De noite chamei à lembrança o meu cântico; meditei em meu coração, e o meu espírito esquadrinhou. Rejeitará o SENHOR para sempre e não tornará a ser favorável? Cessou para sempre a sua benignidade? Acabou-se já a promessa de geração em geração? Esqueceu-se Deus de ter misericórdia? Ou encerrou ele as suas misericórdias na sua ira? (Selá.) E eu disse: Isto é enfermidade minha; mas eu me lembrarei dos anos da destra do Altíssimo."
Salmo 77:1-10  

Existem ocasiões em que parece que Deus está mais distante. Será que existem intervalos na misericórdia de Deus? (v. 9). Quando vêm as dúvidas o melhor a fazer é rebater com certezas. As melhores certezas que temos são as da Palavra de Deus. Em primeiro lugar, Deus sempre inclina os ouvidos às nossas orações (v. 1). Isso significa que Ele é um Deus pessoal que cuida de nós individualmente. Ele quer e agrada-Se quando O buscamos. Todo o que invoca o nome do Senhor é salvo. Deus escuta as nossas orações porque tem um amor sem fim por nós, provado na Pessoa do Seu Filho Jesus Cristo. Depois, quando existe algum afastamento, os responsáveis por ele somos sempre nós e não o perfeito Deus (v. 10). Isto é muito importante. Quando parece que Deus está longe, devemos continuar a buscar. Quando sabemos que a pessoa está em casa, e é urgente falar com ela, nós continuamos a bater à porta. Quando parece que Deus está longe e isso nos angustia, devemos parar e pensar em todas as ocasiões em que Deus nos auxiliou de forma directa (v. 10). Temos frequentemente um grave problema de falta de memória. Não importa como o faz, tente manter sempre na sua mente tudo o que Deus já fez por si. Em vez de fazer inventário das suas dores, tenha uma lista com as bênção de Deus. É bom servir ao Senhor! É bom saber que podemos contar com Ele. Oh Senhor, perdoa-nos por duvidarmos do teu amor.   

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

quarta-feira, 15 de maio de 2013

(Devocional) Sabemos mais do que Deus - Num. 31:1-12

Quarta-feira, 15 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Números 31-35

"E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: vinga os filhos de Israel dos midianitas; depois recolhido serás ao teu povo. Falou, pois, Moisés ao povo, dizendo: Armem-se alguns de vós para a guerra, e saiam contra os midianitas, para fazerem a vingança do SENHOR contra eles. Mil de cada tribo, entre todas as tribos de Israel, enviareis à guerra. Assim foram dados, dos milhares de Israel, mil de cada tribo; doze mil armados para a peleja. E Moisés os mandou à guerra, mil de cada tribo, e com eles Finéias, filho de Eleazar, o sacerdote, com os vasos do santuário, e com as trombetas do alarido na sua mão. E pelejaram contra os midianitas, como o SENHOR ordenara a Moisés; e mataram a todos os homens. Mataram também, além dos que já haviam sido mortos, os reis dos midianitas: a Evi, e a Requém, e a Zur, e a Hur, e a Reba, cinco reis dos midianitas; também a Balaão, filho de Beor, mataram à espada. Porém, os filhos de Israel levaram presas as mulheres dos midianitas e as suas crianças; também levaram todos os seus animais e todo o seu gado, e todos os seus bens. E queimaram a fogo todas as suas cidades com todas as suas habitações e todos os seus acampamentos. E tomaram todo o despojo e toda a presa de homens e de animais. E trouxeram a Moisés e a Eleazar, o sacerdote, e à congregação dos filhos de Israel, os cativos, e a presa, e o despojo, para o arraial, nas campinas de Moabe, que estão junto ao Jordão, na altura de Jericó."
Números 31:1-12  

Moisés não entraria na terra prometido pois havia desobedecido a uma ordem directa de Deus. No entanto vemos aqui Moisés a obedecer completamente a uma ordem que sabia que seria a última que ouviria antes da sua morte (v. 2). Por falharmos uma vez não nos tornamos inúteis para Deus. Deus sempre recebe de volta e quase sempre é possível ao arrependido continuar a servir ao Senhor, mesmo na área em que falhou. Onde antes houve desobediência, vemos agora submissão pronta. Demos graças pela paciência de Deus para connosco. Se encontramos este traço em Moisés, o mesmo não podemos dizer do povo. Israel obedece, mas só até certo ponto. O povo poderia não saber completamente quais eram as razões para isso, mas a ordem de Deus era para que os midianitas fossem completamente destruídos. Deveriam ser mortos homens, mulheres e crianças. Os judeus pensam ser mais inteligentes ou amorosos do que o próprio Deus e decidem poupar a vida das mulheres e crianças (v. 9). Israel ainda hoje sofre as consequências de não ter obedecido completamente a Deus neste campo. Não podemos obedecer apenas a metade das instruções do nosso Deus. Não nos podemos dar ao luxo de pensarmos que sabemos mais do que Deus. Iremos encontrar várias coisas na Sua Palavra com as quais não concordaremos completamente. Deus não quer a nossa compreensão intelectual. Deus exige a nossa obediência total. Acreditamos ou não que as coisas estão bem entregues nas Suas mãos?   

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

terça-feira, 14 de maio de 2013

(Devocional) As vitórias do mal - Is. 21:1-10

Terça-feira, 14 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Isaías 21-25

"Peso do deserto do mar. Como os tufões de vento do sul, que tudo assolam, ele virá do deserto, de uma terra horrível. Dura visão me foi anunciada: o pérfido trata perfidamente, e o destruidor anda destruindo. Sobe, ó Elão, sitia, ó Média, que já fiz cessar todo o seu gemido. Por isso os meus lombos estão cheios de angústia; dores se apoderam de mim como as dores daquela que dá à luz; fiquei abatido quando ouvi, e desanimado vendo isso. O meu coração se agita, o horror apavora-me; a noite que desejava, se me tornou em temor. Põem-se a mesa, estão de atalaia, comem, bebem; levantai-vos, príncipes, e untai o escudo. Porque assim me disse o Senhor: Vai, põe uma sentinela, e ela que diga o que vir. E quando vir um carro com um par de cavaleiros, um carro com jumentos, e um carro com camelos, ela que observe atentamente com grande cuidado. E clamou: Um leão, meu Senhor! Sobre a torre de vigia estou em pé continuamente de dia, e de guarda me ponho noites inteiras. E eis agora vem um carro com homens, e um par de cavaleiros. Então respondeu e disse: Caída é Babilônia, caída é! E todas as imagens de escultura dos seus deuses quebraram-se no chão. Ah, malhada minha, e trigo da minha eira! O que ouvi do SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, isso vos anunciei."
Isaías 21:1-10  

Apesar dos avisos dos profetas, os reis de Judá ainda estavam com esperança que, de alguma forma, o poderio crescente da Babilónia pudesse ser travado. Seria a Babilónia que Deus usaria para infligir julgamento e correcções sobre o seu povo desobediente. Havia um reino entre Babilónia e Israel, chamado Elão. No passado, Elão havia sido um aliado de reinos que haviam conquistado a Babilónia. Nesta passagem é profetizado o fim de Elão. Assim, quando as profecias de Deus contra várias outras nações são anunciadas como motivo de alegria para Israel, esta profecia é anunciada como sendo uma dura visão (v. 2). Ou seja, tratava-se da destruição daquilo em que se depositava confiança. Porque teimamos em depositar a nossa esperança e confiança naquilo que é efémero? Porque trocamos a segurança que só Deus pode dar, pela segurança incerta do mundo? Era precisamente isso que Judá estava a fazer. A verdade é que Babilónia havia de cair (v. 9), mas não antes de causar grande sofrimento ao povo de Deus. Aprendemos a procurar as lições do Senhor naquilo que Ele permite que nos aconteça. Aprendemos, também, que para aqueles que são Dele, o sofrimento é sempre temporário e a vitória é certa. Em que estamos a confiar hoje? Quais são as nossas referências mais seguras? Se aquilo que mais ama for passageiro como tudo neste mundo, então o seu amor está mal aplicado. Ame a Deus de todo o seu coração, busque a vontade Dele e, quando tudo parecer que vai afundar, o seu coração não temerá.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

segunda-feira, 13 de maio de 2013

(Devocional) Nunca tropeçar - 2 Pedro 1:5-11

Segunda-feira, 14 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 2 Pedro 1:5-11

"E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, e à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade, e à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados. Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo."
2 Pedro 1:5-11  

O crente pode tropeçar na sua caminhada com Deus. Se tirar os seus olhos de Quem o salvou, se deixar de se alimentar com a Palavra, se deixar de crescer em graça, o crente em Jesus pode afastar-se daquele que é o seu Pai. Assim, irá perder o seu lugar de utilidade para Deus no corpo que é a sua igreja local. Nesta passagem encontramos algumas ideias para nos ajudar a não tropeçar. Em primeiro lugar isto é algo que merece toda a nossa diligência (v. 5). Devemos concentrar-nos constantemente na qualidade da nossa vida espiritual. Depois, devemos acrescentar à nossa fé (o momento em que nascemos de novo), as qualidades espirituais que nos vão fazer cada vez mais parecidos com Cristo. Por outras palavras, temos de continuar a crescer sempre. Se dedicarmos todo o nosso tempo na busca de Deus e no crescimento do nosso relacionamento com Ele, não nos sobrará tempo para as coisas da carne. Também não nos podemos esquecer que o alvo é o conhecimento de Cristo (v. 8). Não estamos neste processo para nos tornarmos em bons cidadãos, ou bons membros de igrejas. Estamos neste processo para conhecer a Cristo. Não nos podemos esquecer que foi Ele que nos salvou dos nossos pecados (v. 9). Ao investirmos todo o nosso tempo no nosso crescimento em direcção a Cristo, temos a promessa de que jamais iremos tropeçar e afastar-nos de Deus (v. 10). O Céu é a esperança do crente (v. 11), mas a vida cristã fiel é a glória de Deus.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

domingo, 12 de maio de 2013

(Devocional) Lugares escorregadios - Sl. 73:15-20

Domingo, 13 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 71-75

"Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência. Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã. Se eu dissesse: Falarei assim; eis que ofenderia a geração de teus filhos. Quando pensava em entender isto, foi para mim muito doloroso; Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição. Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores. Como um sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás a aparência deles."
Salmo 73:15-20  

Ler este salmo de Asafe é um verdadeiro privilégio. Nele podemos acompanhar o percursso no qual Asafe aprende algumas importantes verdades. Ele começa por manifestar a sua frustração em ver os ímpios, aqueles que não faziam qualquer esforço para seguirem os caminhos do Senhor, prosperarem e viverem despreocupadamente. Por outro lado, muitas vezes as pessoas que servem a Deus de todo o coração passam por dificuldades e apertos. Porquê esta injustiça? No entanto, ele aprende uma verdade importante, os ímpios, por muito sucesso e “boa vida” que tenham, enquanto não se arrependem e aceitam a salvação de Deus vivem constantemente em “lugares escorregadios” (v. 18). A única razão pela qual eles não caem na destruição eterna é pela imensa paciência e misericórdia de Deus. Eles não têm nada a que se agarrarem a partir no momento em que Deus os solte. A partir do momento em que morrem sem ter aceite Cristo, as riquezas e divertimentos transformam-se, de um momento para o outro, em condenação eterna e real. Mais dia, menos dia, Deus acordará do Seu sonho de misericórdia (v. 20) e as oportunidades para arrependimento terão chegado ao fim. Os que já depositaram a sua confiança em Cristo não têm que invejar a vida dos pecadores. Estamos seguros nas mãos do nosso Salvador e, aconteça o que acontecer, a nossa vida eterna com Deus está garantida. Não devemos invejar e devemos ter compaixão deles, tentando ganhá-los para Cristo.           

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

sábado, 11 de maio de 2013

(Devocional) Duas ou três azeitonas - Is. 17:6-8

Sábado, 11 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Isaías 16-20

 "Porém ainda ficarão nele alguns rabiscos, como no sacudir da oliveira: duas ou três azeitonas na mais alta ponta dos ramos, e quatro ou cinco nos seus ramos mais frutíferos, diz o SENHOR Deus de Israel. Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel. E não atentará para os altares, obra das suas mãos, nem olhará para o que fizeram seus dedos, nem para os bosques, nem para as imagens."
Isaías 17:6-8  

Deus promete aqui a Israel uma coisa que é repetida várias vezes nas Escrituras. Deus diz que o seu povo seria julgado e diminuído (v. 4), mas promete preservar, ao longo dos tempos, um remanescente fiel. Ele chama-lhe “duas ou três azeitonas na mais alta ponta dos ramos.” A Palavra de Deus é fiel. O povo de Israel sempre foi atacado, mas ainda existe e existirá sempre. De seguida encontramos uma definição do que é ser fiel a Deus (vs. 7-8). Ser fiel a Deus é colocá-Lo, e às Suas obras, acima de nós mesmos e das nossas obras. Devemos prestar atenção neste conselho que, apesar de muito repetido, parece, por vezes, não ser muito ouvido. Se não tivermos os devidos cuidados, podemos começar a prestar mais atenção naquilo que fazemos do que para Aquele para Quem deveríamos fazer todas as coisas. O v. 8 faz referência aos altares. Um altar é algo que se constrói para se poder prestar adoração. O povo teve muitos problemas por construir altares a outros deuses, mas mesmo na adoração que prestamos ao Deus verdadeiro, devemos ter cuidado para não estarmos a fazê-lo para alimentar a nossa carne. A nossa adoração deve ser agradável a Deus e não a nós mesmos. Os cultos das nossas igrejas devem ser pensados para serem de acordo com a vontade de Deus e não completamente dirigidos para nos fazer sentir bem. Muitas igrejas têm sido destruídas por desviarem, desta forma, os seus olhos de Deus.              

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

sexta-feira, 10 de maio de 2013

(Devocional) Contas de multiplicação - Nm. 26:52-56

Sexta-feira, 10 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Números 26-30

"E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: a estes se repartirá a terra em herança, segundo o número dos nomes. Aos muitos aumentarás a sua herança, e aos poucos diminuirás a sua herança; a cada um se dará a sua herança, segundo os que foram deles contados. Todavia a terra se repartirá por sortes; segundo os nomes das tribos de seus pais a herdarão. Segundo sair a sorte, se repartirá a herança deles entre as tribos de muitos e as de poucos."
Números 26:52-56  

Moisés continua a liderar o povo, acabado de sair do Egipto, durante a caminhada pelo deserto que, eventualmente, haveria de abrir as portas a uma nova terra, e a uma nova vida para todos. Até agora o povo já havia passado por grandes experiências, sido poupado à mortandade dos primogénitos, atravessado a pé enxuto o Mar Vermelho, sido alimentado diariamente por Deus, e muitas outras. Em relação à Terra Prometida, ainda só tinham a promessa. Assim somos nós, vemos muitos milagres de Deus na nossa vida (embora tenhamos tendência para nos esquecermos deles), somos alimentados diariamente por Deus, sempre que nos dispomos a abrir a Sua Palavra e, relativamente à vida eterna e à promessa de participação da glória divina, temos de caminhar por fé, não duvidando de que O que começou a obra, também é poderoso para a finalizar. No nosso texto de hoje, Deus volta a dar mais algumas instruções a Moisés sobre a terra prometida. A terra deveria ser distribuída equitativamente, isto é, quanto mais numerosa fosse a tribo, mais território lhe seria destinado. Deus agradava-se da multiplicação do Seu povo. Por mais que digam hoje em dia, penso que Deus continua a agradar-Se com a multiplicação do Seu povo. Mesmo no meio do mais árido deserto, Ele trata da divisão da terra prometida, como se já fosse presente uma promessa localizada no futuro. É por isso que somos encorajados a acumular tesouros no Céu. Embora futura, a glória de Deus é para os Seus filhos a realidade mais importante que têm.     

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

quinta-feira, 9 de maio de 2013

(Devocional) Como fazer ouvidas as nossas orações - Sl. 66:13-20

Quinta-feira, 9 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 66-70

"Entrarei em tua casa com holocaustos; pagar-te-ei os meus votos, os quais pronunciaram os meus lábios, e falou a minha boca, quando estava na angústia. Oferecer-te-ei holocaustos gordurosos com incenso de carneiros; oferecerei novilhos com cabritos. (Selá.) Vinde, e ouvi, todos os que temeis a Deus, e eu contarei o que ele tem feito à minha alma. A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua. Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; mas, na verdade, Deus me ouviu; atendeu à voz da minha oração. Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem desviou de mim a sua misericórdia."
Salmo 66:13-20 

Orar é muito mais do que fazer um exercício intelectual. Orar não é uma forma de comunicarmos com o nosso interior. Orar não é a mera repetição de palavras. Orar a Deus é falar com Ele. Como é que nós, que somos tão imperfeitos, entramos na presença deste Deus tão santo? De facto, só é possível entrarmos na presença de Deus através de um sacrifício aceitável a Ele. Os sacrifícios de animais no Antigo Testamento não tiravam o pecado de ninguém mas apontavam para o único sangue que podia cobrir os pecados dos homens. Só pelo sangue de Cristo podemos entrar na presença do Pai. Quem entrar por outro lado qualquer, diz Cristo é “ladrão e salteador”. O objectivo principal das nossas orações não deve ser pedir. Ao ensinar-nos a orar, Jesus diz-nos que adorar e glorificar o Pai deve vir sempre em primeiro lugar e ocupar o lugar de destaque. O salmista di-lo no versículo 17. Deus agrada-Se quando vamos a Ele e agrada-Se das palavras de louvor que Lhe dirigimos. Deus é santo e requer dos que O servem pureza e santidade. Não podemos estar em oração tendo a intenção de pecar, ou em pecado no nosso coração. Temos de nos arrepender e confessar quaisquer faltas para que a comunhão seja restabelecida e estejamos em condições de ser ouvidos. Como Deus é Quem nos purifica do pecado, a nossa oração deve ser humilde pois, se dependesse de nós, nunca seríamos ouvidos. A única razão pela qual Deus nos ouve, é pela Sua imensa graça e misericórdia (v. 20).        

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

quarta-feira, 8 de maio de 2013

(Devocional) Deus sabe - 1 Pe. 1:1-2

Quarta-feira, 8 de Maio de 2013
Leitura Bíblica Diária: 1 Pedro 1-5

"Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos estrangeiros dispersos no Ponto, Galácia, Capadócia, Asia e Bitínia; eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas."
1 Pedro 1:1-2  

Devido a intensa perseguição, muitos milhares de cristãos da igreja de Jerusalém tinham sido obrigados a deixar as suas casas e país e a rumarem a outros lugares. À distância a que estamos desses acontecimentos, podemos dar graças a Deus pois a Bíblia nos diz que, os que foram dispersos iam por toda a parte “anunciando a Palavra” (Act. 8:4). Ou seja, a sua perseguição foi permitida por Deus para que outros viessem a conhecer o melhor amigo das suas almas, Jesus Cristo, o Senhor. Esta primeira carta de Pedro é, na prática, um manual de conduta para estrangeiros. Ou seja, para os crentes dispersos e longe da sua terra. O v. 2 chama-os de “eleitos segundo a presciência de Deus”. Ao longo dos séculos muitos crente têm-se dividido quanto a esta questão da eleição. Deixem-me, no entanto, fazer uma aplicação prática e de acordo com o contexto da passagem. Devido à Sua presciência, Deus já sabia que aqueles crentes haveriam de passar perseguição. Porquê que Ele o permitia? Porquê Ele simplesmente não os livrava? Porque ela seria para Sua glória. A verdade é que Deus já sabe tudo o que lhe vai acontecer. Deus conhece, de antemão, as suas dores, decepções e as lágrimas que derramará. Ele quer-lhe dar a graça para o suportar. Ele quer que saiba que nunca irá passar por nada que não consiga suportar. Ele quer que você seja participante da manifestação da Sua glória ao mundo. No meio da tribulação ele quer que graça e paz lhe sejam multiplicadas.    

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).