terça-feira, 30 de abril de 2013

(Devocional) Puros para o serviço - Sl. 51:7-13

Terça-feira, 30 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 51-55

"Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão."
Salmo 51:7-13  

Este é o grande salmo de arrependimento de David. Muitos estão de acordo que estas palavras foram escritas em sequência do seu grande pecado com Batseba. Muitos também têm sido os que têm usado estas palavras em oração. O arrependimento e confissão é o único caminho para lidarmos com os pecados que nos afastam de Deus e nos tornam inúteis para o Seu serviço. Não estamos a falar de teoria, mas de prática. Estamos afastados de Deus? Estamos envolvidos em imoralidade ou hábitos pecaminosos? O caminho de volta para Deus é o arrependimento e confissão desses pecados. Isto é importante porque só Deus pode operar a nossa purificação. Não somos purificados quando tentamos fazer boas obras para “compensar” as más. Somos purificados quando confessamos, com firme intenção de deixar, os nossos pecados. Assim alcançamos de volta a “alegria da salvação” (v. 12). Não é a salvação que perdemos quando pecamos. Essa é-nos ganha e mantida pelo Senhor Jesus, não depende de nós. Por perdermos a comunhão com Deus, perdemos a alegria da salvação. Recuperamo-la quando confessamos e deixamos. É-nos dito para irmos por todo o mundo e preguarmos o evangelho. “Todo o mundo” começa por nossas casas, nossas famílias, vizinhanças, locais de trabalho, etc. Só podemos ser boas testemunhas quando não deixamos que existam pecados não confessados entre nós e Deus. Se quisermos ser abençoados por Deus, e vermos resultados do nosso testemunho, temos de manter o hábito de confessarmos a nossas culpas a Deus.  

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

segunda-feira, 29 de abril de 2013

(Devocional) Pela fé - Heb. 11:4-31

Segunda-feira, 29 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Hebreus 11-13

 "Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala. Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé. Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia. Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa. Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus. Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido. Por isso também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar. Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Porque, os que isto dizem, claramente mostram que buscam uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar. Mas agora desejam uma melhor, isto é, a celestial. Por isso também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade. Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigénito. Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar; e daí também em figura ele o recobrou. Pela fé Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante às coisas futuras. Pela fé Jacó, próximo da morte, abençoou cada um dos filhos de José, e adorou encostado à ponta do seu bordão. Pela fé José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos. Pela fé Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei. Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível. Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos lhes não tocasse. Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram. Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias. Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias."
Hebreus 11:4-31  

Segundo esta passagem, pela fé conseguimos ver a realidade invisível. Esta é a realidade que vale a pena ver, pois o que os nossos olhos da carne veêm é material e passageiro, mas o que a fé vê é espiritual e eterno. A fé vê aquilo que é mais importante. A fé é tão importante que, sem ela é impossível agradar a Deus. Muitos destes heróis da Bíblia não se importaram de dar a sua própria vida (material, passageira) para poderem continuar a andar, pela fé, na vontade de Deus e em direcção à cidade eterna, o céu, a Jerusalém celestial. Aprendemos aqui que Abraão teria sacrificado o seu filho amado, porque sabia (com os olhos da fé) que Deus o iria ressuscitar. Aqui aprendemos também que Moisés, que tinha acesso a todos os prazeres (materiais, passageiros) do Egipto, não teve problemas em trocar uma vida de conforto material, por uma vida de entrega a Deus. Porquê? Porque ele conseguia ver ao longe uma vida eterna com o seu Pai do Céu. Quantos é que fazem o contrário escolhendo o prazer do mundo, desprezando Deus, apenas para descobrir um dia, tarde de mais, que teria sido melhor escutar o convite amoroso de um Deus santo. Mas a vida na terra de quem vive pela fé é também uma vida de vitória. Pela fé alguns destes heróis tiveram o privilégio de estar na primeira fila para ver Deus fazer grandes coisas. Hoje, vai viver pela fé?    

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

domingo, 28 de abril de 2013

(Devocional) De um momento para o outro - Is. 4:1

Domingo, 28 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Isaías 1-5

E sete mulheres naquele dia lançarão mão de um homem, dizendo: Nós comeremos do nosso pão, e nos vestiremos do que é nosso; tão-somente queremos ser chamadas pelo teu nome; tira o nosso opróbrio.
Isaías 4:1
 

Grande parte do ministério de Isaías teve a ver com a transmissão de avisos proféticos ao povo. Devido à sua infidelidade, o povo de Israel estava em risco de ser invadido, derrotado e perder a terra prometida. As palavras de Isaías não foram escutadas pela grande maioria da população que aproveitava o desafogo económico para se dedicar a grandes festas e ao acumular das últimas tendências da moda. Nesta passagem, Isaías diz que, se não houvesse arrependimento, as mulheres de Jerusalém, devido ao número de homens mortos em batalha, iriam ficar dispostas a dar todas as suas roupas e a tratar de toda a sua subsistência apenas para conseguirem arranjar marido. Fazemos bem em olhar para este aviso pois o erro destas mulheres era terem colocado toda a sua confiança e orgulho em coisas que não tinham qualquer valor. Onde está colocada a sua confiança? Para quem você vive? Para si mesmo? Infelizmente estas duras palavras de Isaías tiveram, anos mais tarde, a sua confirmação. Deus é tão bom e misericordioso que espera pelo arrependimento e dá várias oportunidades de mudança. Até que chega o dia. Anos mais tarde, Jeremias descreve que, sob o cerco de Nabucodonosor, o desespero das mulheres de Jerusalém era tal que cozinhavam e comiam os cadáveres dos seus próprios filhos. Não espere para ter o seu encontro com Deus. Todas as coisas podem mudar, de um momento para o outro, ou para o mal, ou para o bem. Como é rápido o perdão de Deus para um coração arrependido.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

sábado, 27 de abril de 2013

(Devocional) Às portas da promessa - Nm. 13:1-20

Sábado, 27 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Números 11-15

"E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel; de cada tribo de seus pais enviareis um homem, sendo cada um príncipe entre eles. E enviou-os Moisés do deserto de Parã, segundo a ordem do SENHOR; todos aqueles homens eram cabeças dos filhos de Israel. E estes são os seus nomes: Da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur; da tribo de Simeão, Safate, filho de Hori; da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné; da tribo de Issacar, Jigeal, filho de José; da tribo de Efraim, Oséias, filho de Num; da tribo de Benjamim, Palti, filho de Rafu; da tribo de Zebulom, Gadiel, filho de Sodi; da tribo de José, pela tribo de Manassés, Gadi filho de Susi; da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali; da tribo de Aser, Setur, filho de Micael; da tribo de Naftali, Nabi, filho de Vofsi; da tribo de Gade, Geuel, filho de Maqui.  Estes são os nomes dos homens que Moisés enviou a espiar aquela terra; e a Oséias, filho de Num, Moisés chamou Josué. Enviou-os, pois, Moisés a espiar a terra de Canaã; e disse-lhes: Subi por aqui para o lado do sul, e subi à montanha: e vede que terra é, e o povo que nela habita; se é forte ou fraco; se pouco ou muito. E como é a terra em que habita, se boa ou má; e quais são as cidades em que eles habitam; se em arraiais, ou em fortalezas. Também como é a terra, se fértil ou estéril; se nela há árvores, ou não; e esforçai-vos, e tomai do fruto da terra. E eram aqueles dias os dias das primícias das uvas."
Números 13:1-20  

Desde Génesis que um dos temas principais nos livros de Moisés é a promessa da terra. Depois de 400 anos de escravatura no Egipto, o povo está agora às portas da promessa. Que momento importante! Conseguimos imaginar? Deus manda Moisés escolher um representante de cada tribo para fazerem uma viagem exploratória na terra. Trata-se de um teste. Esta terra é uma promessa feita pelo Deus Todo-poderoso. Se Ele diz que a terra é deles, então Ele quer dar-lhes a terra. Será que eles vão concentrar-se na promessa, ou nas dificuldades? Também nós temos promessas que nos foram feitas e asseguradas por Cristo. Pelo Salvador temos a promessa de perdão, paz e libertação do poder do pecado. Confiamos? Mais uma vez são escolhidas as pessoas certas para o trabalho. Deus procura pessoas de confiança para o cumprimento da Sua vontade no mundo. Você tem sido fiel a Deus? O desafio colocado por Moisés no v. 18, fazia parte do teste. Eles deveriam ver se o povo que habitava na terra era forte e numeroso. Nos vs. 19-20 eles deveriam olhar para o fruto da terra (a promessa de Deus). Eles olharam mais para as dificuldades do que para a promessa. Este era um teste importante porque o momento era importante. Como tal, deveriam esforçar-se (v. 20). Devemos levar a sério os testes que recebemos do nosso Deus. Ele quer que tomemos posse das Suas promessas para a nossa vida. Confiamos?

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

sexta-feira, 26 de abril de 2013

(Devocional) A importância de saber - Sl. 49:15-20

Sexta-feira, 26 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 46-50

 "Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá. (Selá.) Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece. Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará. Ainda que na sua vida ele bendisse a sua alma; e os homens te louvarão, quando fizeres bem a ti mesmo, irá para a geração de seus pais; eles nunca verão a luz. O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem."
Salmo 49:15-20 

Aquilo que sabemos é muito mais importante do que o que sentimos, vemos e tocamos. Esta é uma das grandes coisas que a Palavra de Deus faz por nós. Porque vem Dele, podemos confiar. O mundo que está sem Deus procura paz de muitas formas diferentes. Uma das coisas nas quais as pessoas procuram paz é no acumular de riquezas. Todos dizem que o dinheiro não traz a felicidade, mas pensam que não custa nada tentar. A Palavra de Deus diz-nos que o dinheiro é nada, porque ninguém pode levar riquezas do mundo para a eternidade (v. 17). Assim, passar toda a vida a acumular riquezas não acrescenta nada à vida porque a pergunta permanece, e depois? Outras pessoas vivem a vida toda preocupados em receber elogios dos outros. Vivem preocupados com o que os outros irão dizer, em serem populares e aceites por um grupo ou por todos. De que servirão as opiniões dos outros na eternidade? (v. 19). Outros dedicam todas as suas vidas a tentar ser pessoas importantes e a quem todos têm de honrar (v. 20). Deus diz-nos que os que procuram ser bem sucedidos nestas coisas e não têm entendimento são semelhantes a animais. É importante sabermos que teremos de dar contas a Deus e que só temos salvação Nele, e no caminho aberto por Ele – Jesus Cristo. Se este é o único caminho, como é que ainda não o partilhámos com todos os que conhecemos? Queremos que eles tenham de enfrentar a eternidade sem que nunca os tenhamos avisado?        

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).  

quinta-feira, 25 de abril de 2013

(Devocional) Melquisedeque - Heb. 7:1-10

Quinta-feira, 25 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Hebreus 6-10

"Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro."
Hebreus 7:1-10  

O tema central da carta aos Hebreus é a superioridade de Cristo. Esta passagem fala-nos acerca de Melquisedeque com a intenção de demonstrar que Jesus está acima do mais respeitado dos sacerdotes da história de Israel. As únicas informações que temos acerca de Melquisedeque encontram-se em Gen. 14:18-20. Aqui, é-nos dito que ele é rei de Salém, a futura Jerusalém. Também aprendemos que, para além de ser rei, Melquisedeque é também sacerdote do Deus Altíssimo. Ele aparece nas Escrituras num episódio em que Abraão se dirige a ele e lhe entrega os seus dízimos. Vemos, que a prática dizimista é anterior à lei de Moisés e, portanto, não deve espantar ninguém que ela sobreviva nesta era da graça. Os dízimos não devem ser entregues a pessoas ou organizações da nossa escolha. A ser efectuada, a prática do dízimo deve ser feita na igreja local (Act. 4:34). Ou seja, da mesma maneira que Abraão procurou aquele que tinha autoridade para receber os seus dízimos, também devemos fazer o mesmo nos dias de hoje. No v. 3 vemos que Melquisedeque é feito para nós “semelhante ao filho de Deus”. Jesus é Único em autoridade, beleza, justiça e santidade. Ele é o eterno Deus. Jesus é superior à lei de Moisés, aprendemos aqui, porque, através de Abraão, até Levi, o fundador da tribo sacerdotal, presta homenagem a este que é figura de Cristo (v. 9). Que Jesus tenha o Seu devido lugar nas nossas vidas. Que seja Ele, e não nós, a ocupar do trono do nosso coração.   

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

quarta-feira, 24 de abril de 2013

(Devocional) O meu amado é meu - Ct. 6:1-3

Quarta-feira, 24 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Cantares 6-8

 "Para onde foi o teu amado, ó mais formosa entre as mulheres? Para onde se retirou o teu amado, para que o busquemos contigo? O meu amado desceu ao seu jardim, aos canteiros de bálsamo, para apascentar nos jardins e para colher os lírios. Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele apascenta entre os lírios."
Cantares 6:1-3  

Este livro da Bíblia é uma bonita manifestação do profundo amor entre marido e esposa. Como tal, embora muitas vezes esquecido, encontramos nele ensinamentos preciosos que devem servir para os casais manterem sempre a bonita união que Deus permitiu que eles tivessem. A pergunta que abre esta breve passagem é como se fosse uma provocação. O marido não estava. Ao perguntarem à mulher “para onde foi o teu amado”? era como se estivessem a questionar o amor dele por ela. Esta esposa nunca duvida do amor do seu marido. Encontramos nestes versículos uma das mais bonitas frases da Bíblia, “eu sou do meu amado, e o meu amado é meu.” A união do casamento deve uma união amorosa onde devem reinar a entrega e a confiança entre ambos. Estas palavras têm sempre sido empregues, também, acerca de Cristo e do cristão. São muito especais os laços que nos unem a Cristo. Se considerarmos o que Ele fez por nós, por amor, então devemos viver a nossa vida entregando-nos a Ele e tentando manifestar o amor e gratidão que devem povoar o nosso coração. Por vezes o cristianismo é por alguns descrito como sendo algo quase mecânico e matemático. “Basta fazer assim”, dizem uns, “basta seguir isto”, dizem outros. No entanto a nossa união a Cristo envolve todo o nosso ser, mente e espírito. Somos Dele e Ele é nosso. Não troquemos o nosso amor a Cristo, pela primeira atracção banal que nos aparecer. Ele é o nosso verdadeiro amor.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   



terça-feira, 23 de abril de 2013

(Devocional) Ansiar por Deus - Sl. 42:1-5

Terça-feira, 23 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 41-45

"«Masquil para o músico-mor, entre os filhos de Coré» Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!  A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus? Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava. Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face."
Salmo 42:1-5  

Não é por acaso que o cervo deseja a água. Os animais buscam naturalmente aquelas coisas que lhes são essenciais. Sem água não poderia sobreviver. O salmista compara esta necessidade básica do cervo com a sua própria necessidade por Deus. A sua alma suspira por Deus por não conseguir viver sem Ele. A vida espiritual tem a sua fonte de alimentação no relacionamento mantido entre Deus e os Seus servos. O homem natural, aquele que ainda não é salvo não sente esta necessidade, e não a tem porque está morto nas suas transgressões e pecados. Quando nasce de novo, pelo sangue do Cordeiro, esta nova vida tem de ser alimentada pelo Próprio Deus. A sede aqui descrita (v. 2) é a que é sentida quando se passa algum tempo sem comunhão com Deus. O verdadeiro filho de Deus sente falta quando não passa tempo com Ele. Se alguém consegue, com naturalidade, passar muito tempo longe de Deus, essa é uma boa indicação de que ainda não se é nascido de novo. No versículo 3 o salmista ressente-se dos que o acusam de não ter nada de especial por ser filho de Deus. A nossa carne pede-nos que acrescentemos coisas às nossas vidas que possam ser admiradas pelos que as vêem. O servo de Deus não está interessado é fazer do seu relacionamento com Deus um espectáculo. Não se é crente para que os outros o invejem. Os outros não o vêem, por isso não entendem. Faltam-lhes os olhos da fé que o nosso Deus nos dá.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

segunda-feira, 22 de abril de 2013

(Devocional) Ofertas - Nm. 7:1-9

Segunda-feira, 22 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Números 6-10

"E aconteceu, no dia em que Moisés acabou de levantar o tabernáculo, e o ungiu, e o santificou, e todos os seus utensílios; também o altar, e todos os seus pertences, e os ungiu, e os santificou, que os príncipes de Israel, os cabeças da casa de seus pais, os que foram príncipes das tribos, que estavam sobre os que foram contados, ofereceram, e trouxeram a sua oferta perante o SENHOR, seis carros cobertos, e doze bois; por dois príncipes um carro, e cada um deles um boi; e os apresentaram diante do tabernáculo. E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: recebe-os deles, e serão para servir no ministério da tenda da congregação; e os darás aos levitas, a cada qual segundo o seu ministério. Assim Moisés recebeu os carros e os bois, e os deu aos levitas. Dois carros e quatro bois deu aos filhos de Gérson, segundo o seu ministério; e quatro carros e oito bois deu aos filhos de Merari, segundo o seu ministério, debaixo da mão de Itamar, filho de Arão, o sacerdote. Mas aos filhos de Coate nada deu, porquanto a seu cargo estava o santuário e o levavam aos ombros."
Números 7:1-9  

Esta passagem trata da entrega, pelas diversas tribos de Israel, de ofertas para o sustento do trabalho do tabernáculo. Acredito que encontramos aqui alguns princípios úteis para guiar as nossas ofertas para o trabalho do Senhor. Em primeiro lugar, vimos que as ofertas foram feitas no seu tempo certo. Não foram as tribos que escolheram quando deveriam dar. A ocasião foi determinada por Deus e dada a todos. Isto é importante para entendermos que a oferta não deve chamar atenção para o ofertante, mas sim dar glória a Deus. Em segundo lugar, foi estabelecido um modo de ofertar. As ofertas foram trazidas pelos príncipes das tribos. Quer tenham sido outras pessoas a dar ou não, a oferta foi dada a Deus pela mão do príncipe. Algumas pessoas não dão através da sua igreja local (o modo certo nos dias de hoje), porque assim não recebem os agradecimentos que desejam. Esta é uma boa oportunidade de analisar o coração. Vemos, também, que cada tribo deu o mesmo, ou seja, carros e bois. Deram-nos porque era aquilo que o tabernáculo precisava naquela altura. Por outras palavras, as sua ofertas foram úteis. Finalmente, as ofertas devem ser usadas com sabedoria e de acordo com o plano de Deus. O v. 9 diz-nos que os coatitas não receberam nenhum dos carros ofertados. Não receberam porque o seu trabalho, dado por Deus, era carregar os utensílios do tabernáculo aos ombros. Seja qual for o nível de conforto proporcionado pela oferta, esta deve ser usada de acordo com a vontade de Deus.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

domingo, 21 de abril de 2013

(Devocional) Nas Suas mãos, o nosso destino - Hb. 4:11-16

Domingo, 21 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Hebreus 1-5

"Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência. Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar. Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno."
Hebreus 4:11-16 

Nos versículos anteriores, vemos o exemplo de Josué, que tendo liderado o povo a entrar na Terra Prometida, encorajava ainda o povo a buscar repouso, ou seja, existe repouso disponível para além deste tempo presente em que estamos. Devemos, portanto, buscá-lo (v. 11). Todos o que confessam que Jesus Cristo é o Senhor das suas vidas alcançam este repouso, a vida eterna. Como sabemos tudo isto? Pela viva e poderosa Palavra de Deus (v. 12). Não há nada que aconteça que não seja do conhecimento de Deus e não há ninguém que não seja completamente conhecido Dele, em obras, pensamentos e intenções do coração. É com Deus que temos de tratar da parte mais importante da vida, a vida eterna (v. 13). Visto que somos conhecidos de Deus, não temos como esconder Dele, a nossa condição de pecadores. Precisamos, então, de um sacerdote que possa ser mediador entre nós e Deus, pois, por nós mesmos, não podemos entrar na presença de tão Santo Senhor. Temos em Cristo um “grande sumo sacerdote”. A nossa salvação estará firme, se estiver entregue nas Suas mãos. (v. 14). Jesus é o mediador perfeito entre nós e Deus, pois Ele compreende-nos, por ser homem, e é santo, por ser Deus (v. 15). Sabendo estas coisas, podemo-nos acercar, com confiança e ousadia, do trono do nosso Deus, pois, certamente, iremos necessitar da Sua ajuda, muitas vezes, ao longo das nossas vida (v. 16). Demos graças a Deus pelo privilégio da oração.      

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      

sábado, 20 de abril de 2013

(Devocional) Cântico de cânticos - Ct. 1:1

Sábado, 20 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Cantares 1-5

"Cântico dos cânticos, que é de Salomão."
Cantares 1:1  

Neste versículo inicial encontramos alguns pensamentos interessantes que nos ajudam na leitura do resto do livro. Este cântico dos cânticos é de Salomão. Ele foi equipado por Deus para poder escrever este livro. Quando Deus lhe perguntou o que queria, Salomão escolheu sabedoria. Assim ele pode ser uma ferramenta útil a Deus e hoje, vários séculos depois, estamos a ler esta porção de literatura inspirada porque alguém desejou ser preparado por Deus. A Bíblia diz-nos (I Re. 4:32) que Salomão escreveu mil e cinco cânticos. Desses, apenas este sobreviveu. Nem tudo o que fazemos é usado por Deus de uma forma grandiosa, mas é bom estarmos preparados para o momento chave no qual Deus escolhe usar-nos. Foi necessário ele escrever mais de mil cânticos para estar preparado para escrever este, que é tão importante. Ainda bem que ele não desistiu a meio. Isto é também uma lição quanto à inspiração e preservação das Escrituras. Os servos de Deus escreveram muito mais do que o que temos hoje, mas apenas o que Deus escolheu preservar chegou aos nossos dias. O que Deus inspirou, também preservou. Porque é que Deus iria inspirar palavras que depois se perderiam com o tempo? Deus não só inspirou cada palavra como seleccionou e preservou cada palavra das Suas Escrituras. Assim, a Bíblia que você tem, é a perfeita Palavra de Deus. Você confia na perfeita palavra de Deus?

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      
 

sexta-feira, 19 de abril de 2013

(Devocional) A vida adiada - Sl. 38:1-11

Sexta-feira, 19 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 36-40

"«Salmo de Davi para lembrança» O SENHOR, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor. Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e a tua mão sobre mim desceu. Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há paz em meus ossos, por causa do meu pecado. Pois já as minhas iniquidades sobrepassam a minha cabeça; como carga pesada são demais para as minhas forças. As minhas chagas cheiram mal e estão corruptas, por causa da minha loucura. Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando todo o dia. Porque as minhas ilhargas estão cheias de ardor, e não há coisa sã na minha carne. Estou fraco e mui quebrantado; tenho rugido pela inquietação do meu coração. SENHOR, diante de ti está todo o meu desejo, e o meu gemido não te é oculto. O meu coração dá voltas, a minha força me falta; quanto à luz dos meus olhos, ela me deixou. Os meus amigos e os meus companheiros estão ao longe da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância."
Salmo 38:1-11  

Encontramos nestes versículos palavras de desespero. O salmista carrega sobre si um pesado fardo. O próprio Deus acrescenta ao peso que o autor descreve. Por é que Deus o acusa? Porque este lamento é o lamento do transgressor. Todo o ser humano é tentado a transgredir o padrão estabelecido por Deus. No momento da tentação, o pecado promete todo um conjunto de bens que depois se encarrega de nunca cumprir. A vida do transgressor é uma vida de desilusão. A pergunta que podemos seriamente colocar de seguida é, porque é que vivemos carregados? Porque é que frequentemente os crentes adiam a vida abundante que Cristo ganhou para eles na cruz? Sabemos que esta vida abundante é paz e vitória sobre o pecado. Assim, conseguimos entender o v. 5, quando ele diz que está a passar por toda aquela dor devido à sua loucura. Porquê adiar a vida de paz com Deus, quando esta está tão disponível em Cristo? De seguida, ele descreve tudo o que está a passar por estar afastado de Deus. São loucos os que dizem que Deus, se existir, não pode ser um Deus pessoal. É possível ao indivíduo estabelecer um relacionamento com o Deus Criador. O ser humano foi criado para esse relacionamento. Toda a vida que não estabelece essa relação, é uma vida adiada e desperdiçada. Até os outros relacionamentos perdem (v. 11), se não usarmos como padrão o perfeito relacionamento que Deus quer ter connosco. Seremos melhores amigos, cônjuges, pais e colegas se vivermos em paz com Deus. Porquê adiar mais?

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      

quinta-feira, 18 de abril de 2013

(Devocional) Recordar as trevas - Ec. 11:7-10

Quinta-feira, 18 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Eclesiastes 11-12

"Certamente suave é a luz, e agradável é aos olhos ver o sol. Porém, se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos. Tudo quanto sucede é vaidade. Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo. Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade."
Eclesiastes 11:7-10 

Todos nós apreciamos um bom dia de sol e, quando entramos num quarto escuro, a nossa primeira reacção é tentar ligar uma luz. No entanto, diz Salomão, é bom recordarmos os dias de trevas, porque, diz ele, “hão de ser muitos” (v. 8). O crente pode olhar este princípio de duas formas. Quando olhamos para trás e vemos o que éramos e do que o Senhor nos libertou, como estávamos presos às trevas do pecado e como, pelo sangue de Cristo, nos tornámos em filhos da luz, os nossos corações devem encher-se de gratidão e temor a Deus. Em segundo lugar, não devemos esquecer as lições que aprendemos nos maus momentos, pois o crente sabe que passará por aflições (Jo. 16:33). A forma como o Senhor foi connosco, as reacções do nosso coração, as fraquezas reveladas e as vitórias alcançadas nos momentos de aflição, devem estar com frequência nas nossas mentes para nos prepararmos para as provações, perseguições e ataques do inimigo. A segunda parte desta passagem é dirigida aos jovens e às paixões e tentações da juventude. O versículo 9 parece ser um incentivo para que o jovem satisfaça cada uma das inclinações do coração, no entanto, o aviso vem no final. Deus nos julgará. O que deve, então, o jovem fazer? Afastar a ira do coração, através do novo nascimento por Cristo Jesus, e viver uma nova vida de negação do pecado. Vale a pena viver para Deus.     

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

quarta-feira, 17 de abril de 2013

(Devocional) Ordem e progresso - Num. 1:1-16

Quarta-feira, 17 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária:Números 1-5

 "Falou mais o SENHOR a Moisés no deserto de Sinai, na tenda da congregação, no primeiro dia do segundo mês, no segundo ano da sua saída da terra do Egito, dizendo: tomai a soma de toda a congregação dos filhos de Israel, segundo as suas famílias, segundo a casa de seus pais, conforme o número dos nomes de todo o homem, cabeça por cabeça; da idade de vinte anos para cima, todos os que em Israel podem sair à guerra, a estes contareis segundo os seus exércitos, tu e Arão. Estará convosco, de cada tribo, um homem que seja cabeça da casa de seus pais. Estes, pois, são os nomes dos homens que estarão convosco: De Rúben, Elizur, filho de Sedeur; de Simeão, Selumiel, filho de Zurisadai; de Judá, Naasson, filho de Aminadabe; de Issacar, Natanael, filho de Zuar; de Zebulom, Eliabe, filho de Helom; dos filhos de José: De Efraim, Elisama, filho de Amiúde; de Manassés, Gamaliel, filho de Pedazur; de Benjamim, Abidã, filho de Gideoni; de Dã, Aieser, filho de Amisadai; de Aser, Pagiel, filho de Ocrã; de Gade, Eliasafe, filho de Deuel; de Naftali, Aira, filho de Enã. Estes foram os chamados da congregação, os príncipes das tribos de seus pais, os cabeças dos milhares de Israel."
Números 1:1-16  

Este livro começa com uma nova contagem de todos os jovens masculinos com mais de 20 anos de idade do povo de Israel. O facto de haver uma contagem diz-nos que o nosso Deus ama a ordem e que esta faz parte da Sua personalidade. No deserto, seria fácil as coisas ficarem desorganizadas. Tanto quanto sabiam, as pessoas estavam a vaguear sem destino certo, moravam em tendas e eram alimentados de uma forma que não controlavam. Mesmo quando as circunstâncias nos fogem ao controlo, não devemos de perder o amor à ordem e decência. Uma das coisas que vemos nesta contagem, é o facto de existirem milhares de representantes de todas as 12 tribos de Israel. Não só não se tinha perdido nenhuma tribo, como estas se estavam a multiplicar a bom ritmo. Deus ainda estava no controlo. Deus estava a cumprir a Sua promessa a Abraão de que a sua descendência seria multiplicada. De cada tribo Deus escolheu um homem para supervisionar a contagem. Não se tratavam de homens quaisquer, eram homens sérios e de inteira confiança. Deus continua à procura de servos fiéis e de confiança. A prova de que Deus estava com o Seu povo era que ainda haviam milhares e milhares de pessoas para contar. O povo não iria desaparecer no deserto. Deus estava a tomar conta do Seu povo. Confia no cuidado de Deus? 

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).   

terça-feira, 16 de abril de 2013

(Devocional) Não já como servo - Fm. 8-25

Terça-feira, 16 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Filémon

"Por isso, ainda que tenha em Cristo grande confiança para te mandar o que te convém, todavia peço-te antes por amor, sendo eu tal como sou, Paulo o velho, e também agora prisioneiro de Jesus Cristo. Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões; o qual noutro tempo te foi inútil, mas agora a ti e a mim muito útil; eu to tornei a enviar. E tu torna a recebê-lo como às minhas entranhas. Eu bem o quisera conservar comigo, para que por ti me servisse nas prisões do evangelho; mas nada quis fazer sem o teu parecer, para que o teu benefício não fosse como por força, mas, voluntário. Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo, para que o retivesses para sempre, não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor? Assim, pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo. E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, põe isso à minha conta. Eu, Paulo, de minha própria mão o escrevi; eu o pagarei, para te não dizer que ainda mesmo a ti próprio a mim te deves. Sim, irmão, eu me regozijarei de ti no Senhor; recreia as minhas entranhas no Senhor. Escrevi-te confiado na tua obediência, sabendo que ainda farás mais do que digo. E juntamente prepara-me também pousada, porque espero que pelas vossas orações vos hei de ser concedido. Saúdam-te Epafras, meu companheiro de prisão por Cristo Jesus, marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito. Amém."
Filémon 8-25 

Onésimo não tinha antecipado, no momento da fuga, tudo o que ainda lhe iria acontecer. Ele encontra-se com Paulo, que provavelmente estava em prisão domiciliária em Roma, e conhece o Senhor Jesus Cristo, recebendo-O como Senhor e Salvador. A vida de Onésimo estava agora em Cristo. O velho homem, crucificado e morto, ele havia sido regenerado pelo poder de Deus. Paulo conhecia o antigo senhor de Onésimo e envia-o de volta. Filémon deveria receber este seu antigo escravo, não já como servo, mas como irmão amado. Que bonita ilustração daquilo que Jesus faz na vida do convertido. Antes de ir a Cristo, eu era servo do pecado e sem qualquer vida espiritual. Eu era egoísta e vivía para satisfazer os meus interesses e alimentar o meu orgulho. Jesus levou sobre si a minha dívida para com Deus e agora sou uma nova criatura. Paulo diz a Filémon, que se houver alguma dívida, que essa seja colocada na sua conta. Com aquela carta na mão, Onésimo estava livre de qualquer dívida! Assim é o crente que receber o dom gratuito de Deus, pois o documento que o condenava foi cancelado pelo sangue na cruz. Paulo diz ainda que Onésimo deveria ser recebido como se fosse Paulo. Eu sei que comigo é assim também. Quando eu me encontrar com o Juiz de toda a terra, eu estarei revestido não com a minha justiça (imperfeita, insuficiente), mas com a justiça do Filho de Deus. Você já está coberto com a justiça de Cristo? Está pronto para se encontrar com o Senhor?

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      



segunda-feira, 15 de abril de 2013

(Devocional) As coisas que ainda restam - Ti. 1:5

Segunda-feira, 15 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Tito 1:5

"Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei."
Tito 1:5  

Não sabemos ao certo quando é que Paulo esteve em Creta. Nesta carta, o apóstolo diz que deixou naquela ilha a Tito, para que pusesse em ordem as coisas que ainda restavam. O trabalho missionário é um trabalho de organização. Sabemos, pelo ministério de Paulo, e pelas cartas que o Espírito Santo inspirou através dele, que a obra do ministério deve ser feita pelos membors de cada igreja. Não era responsabilidade de Paulo, nem sequer de Tito, fazer a obra do ministério, mas sim pôr as coisas em ordem. Neste caso, Tito deveria ir de cidade em cidade e estabelecer, ou designar, um líder, aqui chamado de presbítero (a palavra quer dizer homem de idade, ou ancião, ou seja alguém sábio e maduro) para cada uma das igrejas. Uma vez que a palavra usada neste caso para o ministério que agora dizemos pastoral é a palavra “presbítero”, pensamos que, Tito deveria conhecer bem cada um destes homens e, se fosse necessário, dar-lhes o treinamento ajustado para o desempenho da obra do evangelho. Tudo isto para que “as coisas que ainda restam” pudessem ser postas em ordem. Uma pequena luz de Cristo que começa a brilhar numa comunidade deve ser apoiada e protegida para que continue a brilhar e possa crescer. Essa pequena luz quer-se que um dia se torne numa igreja local forte. Se ainda resta alguma coisa do trabalho de Cristo, isso que ainda resta deve ser apoiado e não desprezado por ser pequeno e insignificante.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

domingo, 14 de abril de 2013

(Devocional) Dormireis seguros - Lv. 26:1-13

Domingo, 14 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Levítico 26-27

"Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o SENHOR vosso Deus. Guardareis os meus sábados, e reverenciareis o meu santuário. Eu sou o SENHOR. Se andardes nos meus estatutos, e guardardes os meus mandamentos, e os cumprirdes, então eu vos darei as chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua colheita, e a árvore do campo dará o seu fruto; e a debulha se vos chegará à vindima, e a vindima se chegará à sementeira; e comereis o vosso pão a fartar, e habitareis seguros na vossa terra. Também darei paz na terra, e dormireis seguros, e não haverá quem vos espante; e farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada. E perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós. Cinco de vós perseguirão a um cento deles, e cem de vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós. E para vós olharei, e vos farei frutificar, e vos multiplicarei, e confirmarei a minha aliança convosco. E comereis da colheita velha, há muito tempo guardada, e tirareis fora a velha por causa da nova. E porei o meu tabernáculo no meio de vós, e a minha alma de vós não se enfadará. E andarei no meio de vós, e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo. Eu sou o SENHOR vosso Deus, que vos tirei da terra dos egípcios, para que não fósseis seus escravos; e quebrei os timões do vosso jugo, e vos fiz andar eretos."
Levítico 26:1-13  

A paz e a segurança é aquilo que todos buscam e desejam mesmo quando não sabem que o buscam e desejam. Nesta passagem Deus dá ao Seu povo promessas maravilhosas. Desde que eles não pusessem nada a não ser Deus no primeiro lugar na sua vida (idolatria), e não saíssem da presença de tão amoroso Redentor (rebelião), todos os tesouros da graça de Deus seriam deles. Que promessa! Vejamos o que Deus lhes promete: boas colheitas agrícolas; paz e segurança, até dos animais ferozes; vitórias militares, mesmo quando o inimigo for superior em número; fertilidade e crescimento populacional; abundância de alimento; a presença permanente de Deus. Os inimigos de Deus e do evangelho pintam o Senhor como sendo alguém mesquinho e vingativo que vive para impedir o homem de ser livre e fazer todas as coisas que lhe dão prazer. Isso é uma mentira vinda directamente do inferno! Deus é amor e a glória de Deus é quando este, pelo sacrifício do Seu Filho, aceita relacionar-se e fazer morada dentro de seres tão imperfeitos como nós. A glória do ser humano é encontrar Deus, conhecê-Lo, e à Sua vontade, caminhar com Ele e contemplar o Seu rosto. É na presença de Deus que se encontra a paz, descanso e perfeita liberdade. Naquele tempo Ele vivia no meio do povo, dentro do Tabernáculo. Hoje, Ele quer habitar no coração de todos aqueles que recebem a Cristo como Salvador pessoal. Você pode receber também todas as promessas de Deus. Receba a Sua Palavra e ande nos Seus caminhos.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

sábado, 13 de abril de 2013

(Devocional) O Perdão - Sl. 32:1-6

Sábado, 13 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 31-35

"«Masquil de Davi» Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá.) Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.) Por isso, todo aquele que é santo orará a ti, a tempo de te poder achar; até no transbordar de muitas águas, estas não lhe chegarão."
Salmo 32:1-6  

O v. 1, começa com a palavra “bem-aventurado”. Esta palavra significa um estado elevado de alegria que implica circunstâncias muito favoráveis. Que razões é que David tinha para estar assim tão alegre? O pecado dele tinha sido perdoado. Todos aqueles que já encontraram Jesus têm a mesma razão para viverem vidas de extrema felicidade. Perdão significa que o grande peso que estava sobre nós foi levantado. O pecado que nos envergonhava foi coberto, da mesma maneira que as vestes apropriadas cobrem a vergonha da nudez. David tinha cometido um grande pecado. O que tinha começado como adultério dos olhos, levou ao homicídio. Depois, David teve de viver com o peso do seu grande pecado. Ele próprio reconhece que o tempo que passou com o pecado sem o confessar, foi um tempo de dor, sofrimento e angústia. O perdão, no entanto, chegou e chegou através da confissão. Confessar é tornar as nossas faltas conhecidas a Deus e, depois, concordar com Deus acerca da sua gravidade e consequências. Quando confessamos os nossos pecados, tornamo-nos nos acusadores de nós próprios. No momento em que David confessou (v. 5), Deus perdoou. O nosso Deus está sempre pronto a perdoar os nossos pecados. Muitas vezes passamos demasiado tempo a colher as consequências negras do nosso pecado, quando Deus está tão pronto a perdoar. Assim, depois de perdoados, encontramos o nosso lugar de maior segurança na comunhão com Deus. Aquele que é santo, ora. Mesmo que se levantem muitos perigos (v. 6), temos um refúgio que os pecadores não têm.    

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

sexta-feira, 12 de abril de 2013

(Devocional) O riso do tolo - Ec. 7:1-6

Sexta-feira, 12 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Eclesiastes 6-10

"Melhor é a boa fama do que o melhor unguento, e o dia da morte do que o dia do nascimento de alguém. Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração. Melhor é a mágoa do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração. O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria. Melhor é ouvir a repreensão do sábio, do que ouvir alguém a canção do tolo. Porque qual o crepitar dos espinhos debaixo de uma panela, tal é o riso do tolo; também isto é vaidade."
Eclesiastes 7:1-6  

O riso é uma das melhores máscaras. A máscara do riso é a mais fácil de colocar. Muitos utilizam o riso como escape para não enfrentarem a realidade. Mas como é passageiro esse escape! O riso é uma fraca protecção para as dificuldades da vida. A Bíblia avisa-nos para termos atenção em relação às palavras que saem da nossa boca e não servem para nada. O fogo que é alimentado apenas com espinhos cedo se apaga. Esta passagem alerta-nos para a necessidade de não nos distrairmos com o que é passageiro e para aproveitarmos o nosso tempo para lidar com o que é real. A Bíblia não está a dizer que um funeral é uma coisa boa, mas sim que é uma coisa real e que deve ser aproveitada para se lidar com a realidade. O crente deve ser aquele que já lidou com a inevitabilidade da morte e está preparado. O mundo foge do tema e ri para se esquecer. O crente olha para Deus e confia. Muitos tentam esquecer aquilo que é difícil sem nunca terem de lidar com isso. Se quisermos, existe um sem número de distracções e formas de não enfrentar a realidade. Aqueles que confiam em Deus contam com ajuda verdadeira para enfrentar as situações difíceis.  

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

quinta-feira, 11 de abril de 2013

(Devocional) Desperta o dom de Deus (2Tim. 1:6-14)

Quinta-feira, 11 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: 2 Timóteo 1-4

"Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos; e que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho; para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios. Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia. Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus. Guarda o bom depósito pelo Espírito Santo que habita em nós."
2 Timóteo 1:6-14  

Encontramos aqui palavras sérias de encorajamento de Paulo relativamente a um seu filho na fé muito especial. Timóteo tinha sido chamado por Deus para ser pastor e pregador do evangelho. Este era um dom (ou presente) muito especial que ele tinha recebido de Deus. O apóstolo Paulo tinha-o pessoalmente consagrado para este trabalho tão importante. Timóteo deve despertar o dom de Deus (v. 6). O verbo ali utilizado significa manter a chama a arder no máximo. Não deve ser entendido nas palavras de Paulo que Timóteo tinha deixado apagar o seu entusiasmo pela obra do Senhor. Mas podemos aqui aprender que os dons, talentos e responsabilidades que recebemos de Deus, podem desaparecer se forem desprezados ou negligenciados. Como é que ele deveria manter acesa no máximo a chama do sua vida para o Senhor? Em primeiro lugar, não tendo vergonha de dar testemunho pelo Senhor (v. 8). Jesus tinha dito a Paulo, “fala, e não te cales”. Também nós, quanto mais falarmos da grande salvação que foi realizada por Cristo em nosso nome, mais iremos crescer e manter viva a chama do nosso serviço para Ele. Timóteo não deveria ter vergonha de Paulo, por este estar preso. Também nós não devemos ter receio em nos juntarmos e em sermos associados com quem é fiel a Deus, seja quem for a pessoa em questão. Timóteo não deveria temer o sofrimento pelo nome de Cristo. Quantos de nós estamos dispostos a isso? Finalmente, para manter viva a chama de Deus na sua vida, Timóteo deveria guardar a Palavra (v. 13). Não temos que seguir as modas deste mundo, basta-nos guardar fielmente o que temos recebido.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).    

quarta-feira, 10 de abril de 2013

(Devocional) Onde Deus quer que estejamos? - Sl. 26:6-12

Quarta-feira, 10 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 26-30

"Lavo as minhas mãos na inocência; e assim andarei, SENHOR, ao redor do teu altar. Para publicar com voz de louvor, e contar todas as tuas maravilhas. SENHOR, eu tenho amado a habitação da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória. Não apanhes a minha alma com os pecadores, nem a minha vida com os homens sanguinolentos, em cujas mãos há malefício, e cuja mão direita está cheia de subornos. Mas eu ando na minha sinceridade; livra-me e tem piedade de mim. O meu pé está posto em caminho plano; nas congregações louvarei ao SENHOR."
Salmo 26:6-12 

Deus agrada-se quando vivemos de forma piedosa, e desilude-se quando Lhe desobedecemos. Neste Salmo encontramos expressas algumas das vontades de Deus para as nossas vidas. Em primeiro lugar, Deus quer que estejamos inocentes (v. 6). Esta não é uma qualidade que nos seja natural, ou que possamos alcançar por nossas próprias forças. É algo que nos é feito, oferecido. Isso é manifestado na expressão “lavo as minhas mãos”. Só estamos inocentes aos olhos de Deus quando nos colocamos debaixo do sangue de Cristo. Depois, Deus quer que estejamos activamente envolvidos no testemunho aos outros da salvação que alcançámos em Cristo (v. 7). Não devemos estar paralisados no nosso serviço para Deus, sem saber o que Ele quer de nós. Ele quer sempre que estejamos a falar aos outros do Seu amor. Também é vontade de Deus para as nossas vidas, que sejamos pessoas que o louvam (v. 7). Deus agrada-Se quando Lhe agradecemos por tudo o que Ele é e tem feito por nós. Quando estamos na igreja, a louvar, isso deve ser apenas o prolongamento de algo que fazemos diariamente. Deus agrada-Se, também, quando nos juntamos com os outros crentes (vs. 8, 12). É vontade de Deus para os nossos dias, que sejamos membros de uma igreja bíblica e que O sirvamos através da nossa congregação local. Finalmente, a nossa posição de filhos de Deus, não deve fazer com que nos tornemos tolerantes em relação ao pecado nas nossas vidas (vs. 9, 10). Todo o pecado conhecido deve ser confessado e abandonado.         

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      

terça-feira, 9 de abril de 2013

(Devocional) Piedade com contentamento - 1 Tim. 6:6-12

Terça-feira, 9 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: 1 Timóteo 6

"Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas."
1 Timóteo 6:6-12  

A palavra piedade que nesta passagem aparece no v. 6 e no v. 11, é a característica daqueles que procuram viver de forma a agradar a Deus. É um dos traços de carácter mais importantes que alguém pode ter. A Palavra de Deus diz-nos aqui, que aqueles que conseguem ter piedade com contentamento, conseguiram algo muito valioso. O contentamento, estar satisfeito com aquilo que se tem, é uma característica que vai contra a cultura dos nossos dias. Todos os dias somos bombardeados com estilos de vida e bens muito acima das nossas possibilidades. O inimigo diz-nos que aquilo é o que merecemos e que podemos perfeitamente lá chegar. Muitos crentes em Jesus deixam-se levar nesta mentira e o seu contentamento, dádiva de Deus, é levado juntamente. Paulo diz aqui que muitos se desviam da fé, por causa do amor ao dinheiro. Ao crente em Jesus está disponível uma vida de contentamento. Escutemos os conselhos inspirados. Em primeiro lugar, devemos fugir da tentação de querer ser rico. Depois, devemos buscar aquilo que é justo, aquilo que agrada a Deus, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. Se somos crentes em Cristo, e já apresentámos o nosso testemunho diante de um grupo de pessoas, temos a responsabilidade de manter a nossa fé, crescer na nossa fé e apresentar a nossa fé. Se gastarmos todo o nosso tempo e recursos naquilo que é da vontade de Deus, não nos sobrará tempo para buscar aquilo que apenas serve para nos afastar do Rei.

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).      

segunda-feira, 8 de abril de 2013

(Devocional) Sacerdócio santo - Lev. 22:1-9

Segunda-feira, 8 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Levítico 21-25

"Depois falou o SENHOR a Moisés, dizendo: dize a Arão e a seus filhos que se apartem das coisas santas dos filhos de Israel, que a mim me santificam, para que não profanem o meu santo nome. Eu sou o SENHOR. Dize-lhes: Todo o homem, que entre as vossas gerações, de toda a vossa descendência, se chegar às coisas santas que os filhos de Israel santificam ao SENHOR, tendo sobre si a sua imundícia, aquela alma será extirpada de diante da minha face. Eu sou o SENHOR. Ninguém da descendência de Arão, que for leproso, ou tiver fluxo, comerá das coisas santas, até que seja limpo; como também o que tocar alguma coisa imunda de cadáver, ou aquele de que sair sêmen da cópula, ou qualquer que tocar a algum réptil, pelo qual se fez imundo, ou a algum homem, pelo qual se fez imundo, segundo toda a sua imundícia; o homem que o tocar será imundo até à tarde, e não comerá das coisas santas, mas banhará a sua carne em água. E havendo-se o sol já posto, então será limpo, e depois comerá das coisas santas; porque este é o seu pão. O corpo morto e o dilacerado não comerá, para que não se contamine com ele. Eu sou o SENHOR. Guardarão, pois, o meu mandamento, para que por isso não levem pecado, e morram nele, havendo-o profanado. Eu sou o SENHOR que os santifico."
Levítico 22:1-9  

Uma das coisas que aprendemos com a saída do povo do Egipto em direcção à Terra Prometida, é que Deus deseja viver em contacto próximo com os homens. Nesse sentido, Deus desenhou todo o sistema sacerdotal da lei. Os sacerdotes deveriam ser a ponte entre Deus e os homens. Os sacerdotes levavam os pecados dos homens diante de Deus e levavam a luz de Deus para os homens. Era um sistema simbólico, imperfeito. Servia para preparar o mundo para o sacerdócio perfeito de Cristo e o sacerdócio universal dos crentes, que temos hoje em dia. Porque deviam ser esse ponto de contacto, Deus requeria dos sacerdotes que fossem santos. A razão para a santidade? Devemos ser santos porque o Senhor é santo. Deus é perfeito e na Sua presença não existe qualquer maldade. Não existe pecado na presença de Deus. Por isso é que todos os que querem ver o reino de Deus precisam de nascer de novo. Sabemos como alcançar essa santidade. Ela é alcançada apenas pelo sangue de Cristo. Como é que vivemos essa santidade? Da mesma maneira que o Senhor dá nesta passagem instruções para a santificação dos sacerdotes, encontramos na Palavra o que precisamos para viver para Deus. O v. 9, é muito importante. Não eram as obras de santificação que santificavam os sacerdotes. Deus é quem santifica. Se você é salvo e serve fielmente a Deus, o mérito não é seu. Dê toda a glória a Deus. 

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

domingo, 7 de abril de 2013

(Devocional) A terceira dobra - Ec. 4:7-12

Domingo, 7 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Eclesiastes 1-5

"Outra vez me voltei, e vi vaidade debaixo do sol. Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e contudo não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa."
Eclesiastes 4:7-12  

O ser humano é, por natureza, egoísta. A Bíblia chama a este sentimento “buscar os seus próprios caminhos”. O egoísmo tende a não confiar e, consequentemente, isola. O caminho do homem natural e do desviado é um caminho de solidão. É porque nos conhece bem que o Senhor nos aconselha a buscarmos na comunhão com os outros a força que precisamos para andar nos Seus caminhos (Heb. 10:25). Deus coloca no nosso caminho as pessoas que precisamos a cada momento. Se nos sentimos desconfortáveis ao lado dos servos do Senhor é porque não estamos bem com o nosso Deus. A nossa tendência é procurar defeitos nos outros e, dessa forma, afastarmo-nos. Relativamente ao nosso relacionamento com os outros irmãos só existem duas opções, ou somos bênção, ou somos abençoados. Em qualquer um destes cenários, Deus quer-nos próximos uns dos outros. O inimigo é que vem para separar. Cristo une. O versículo 12 é um verdadeiro tesouro. Se dois são os que, unidos, resistem à provação, de onde aparecem as “três dobras”? A terceira dobra é o próprio Deus que se junta para dar força aos que Nele confiam e Lhe obedecem. Seremos tentados a pensar “estou melhor sozinho”, mas se escolhermos obedecer, Deus promete estar connosco. Busquemo-nos uns aos outros, para comunhão, exortação, ânimo e, acima de tudo, porque isso é o que Deus espera de nós.     

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

sábado, 6 de abril de 2013

(Devocional) Deus abandonado por Deus - Sl. 22:1-10

Sábado, 6 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: Salmos 21-25

"«Salmo de Davi para o músico-mor, sobre Aijelete Hashahar» Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido? Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego. Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel. Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste. A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram, e não foram confundidos. Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo. Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer. Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe. Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe."
Salmo 22:1-10  

Todos conhecemos as palavras deste salmo. Conhecemo-las porque as sabemos ditas pelo nosso Salvador, no auge do sofrimento da cruz. Elas tocam-nos porque são a evidência do quanto Ele sofreu por nós. Comovem-nos porque são prova do quanto Ele nos amou. No dia da Paixão foram cumpridas uma multidão de profecias do Antigo Testamento. Bastava-nos este Salmo para chegarmos à conclusão de que a Bíblia é Palavra de Deus e não livro de homens. O momento que este salmo anuncia é o momento mais negro (e mais glorioso e central) da história do nosso mundo. Pela primeira, e única, vez o Pai não escuta uma oração do Filho. Não o pode fazer. Assim, vemos o paradoxal e incompreensível, Deus é abandonado por Deus. Porquê? Naquele momento Jesus é feito pecado por nós. Todas as nossas transgressões, todos os pecados que já cometemos, ou iremos cometer, são colocados sobre Ele e, porque Deus é tão puro de olhos que não pode ver o mal, Ele tem de desviar os olhos do Seu próprio Filho. Quando Jesus orou no jardim, na véspera deste acontecimento, e pediu para que, se houvesse outro caminho (não há), que Ele fosse poupado da cruz, o que Ele temia não era a dor dos pregos, nem os espinhos da coroa que recebeu. O que Ele temia era este momento. Deus tinha de O abandonar, para os pecados de uma humanidade que O desprezava fossem perdoados. Que amor tem o nosso Salvador por nós!           

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).     

sexta-feira, 5 de abril de 2013

(Devocional) Deixar a fé - 1 Tim. 4:1-5

Sexta-feira, 5 de Abril de 2013
Leitura Bíblica Diária: 1 Timóteo 1-5

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demónios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência; proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças; porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças. Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada."
1 Timóteo 4:1-5  

Paulo continua aqui a dar a Timóteo instruções acerca da importância de defender a verdade na igreja. A era da graça, na qual vivemos, são os últimos tempos a que Paulo se refere. Estes últimos tempos são marcados pela presença de pessoas e grupos que, dizendo-se defensores da fé de Cristo, na verdade são pessoas que não estão na fé. Por isso Paulo os chama de apóstatas. Uma das marcas da apostasia é o que Paulo chama de “doutrinas de demónios”. Estas, estabelecem outros mediadores entre Deus e os homens que não Cristo. Começam por afirmar que Jesus não é fundamental para se chegar a Deus, que existem outros caminhos para a salvação. Temos de estar firmes na fé em Jesus como Único mediador entre Deus e os homens. Como arma contra a apostasia, precisamos de decidir quem vale a pena escutar. O v. 2 é um alerta para escutarmos apenas aos que falam da parte de Deus e são conhecidos por se afastarem do pecado. Infelizmente as referências do mundo de hoje são pessoas que não mantêm qualquer testemunho de fidelidade a Deus. As pessoas deixam-se enredar, também, em regras e cerimónias. Buscam satisfação no cerimonial e esquecem que a única religião verdadeira é Cristo (v. 3). Como saber o que é certo? A Palavra é o meio que Deus nos dá para decidirmos. As nossas dúvidas e os desvios de muitos são provocados pelo frequente desprezo para com as Escrituras. Decidamo-nos a colocar este livro no centro da nossa vida.             

Nota: Ao seguir a recomendação de Leitura Bíblica Diária, irá ler num ano o Antigo Testamento (uma vez) e o Novo Testamento e Salmos (duas vezes).