segunda-feira, 20 de março de 2017

(Devocional) A preferível pobreza - Pv. 19:1


Segunda-feira, 20 de Março de 2017
Leitura Bíblica Diária: Provérbios 16-20
A preferível pobreza

“Melhor é o pobre que anda na sua sinceridade, do que o perverso de lábios e tolo.”
Provérbios 19:1

“Só serás alguém na vida se pisares os teus adversários e passares à frente de todos, custe o que custar!” São estas as palavras de sabedoria que o mundo tem para nos oferecer. Existem ganhos reais e grandes proveitos materiais que podem ser tirados da falsidade, mas será que vale a pena? Este versículo diz-nos que aquele que é perverso nos seus lábios é tolo. “Perverso”, neste versículo quer dizer distorcido, falso. Ele é tolo porque faz apenas o que lhe parece ser o melhor a cada momento, sem olhar a consequências. Tudo o que ele faz ou diz é baseado naquilo que ele pode vir a ganhar em termos de bens materiais. Ele não se importa de mentir ou enganar, desde que isso lhe traga algum ganho. Falar apenas para agradar, mesmo que se esteja a mentir, é a maneira mais fácil de viver a vida. Ele é tolo porque pensa que poderá fugir das consequências para sempre. Aquele que escolhe viver a vida de fidelidade a Deus nem sempre viverá bem. A Bíblia diz-nos que quem quer viver para Deus passará por perseguições. Por vezes é difícil passar por dificuldades, por se ser fiel, e ver os injustos a gozar dos frutos desta vida. Para o pobre esta é uma situação de tentação. Ainda bem que os nossos tesouros estão no céu! Não existem riquezas neste mundo que paguem a integridade e a boa consciência de um filho de Deus diante dos homens e do seu Pai celestial. 

segunda-feira, 13 de março de 2017

(Devocional) Verás a glória de Deus - Jo. 11:33-44


Segunda-feira, 13 de Março de 2017
Leitura Bíblica Diária: João 11-15
Verás a glória de Deus

 “Jesus, pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito e perturbou-se. E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê. Jesus chorou. Disseram, pois, os judeus: Vede como o amava. E alguns deles disseram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer também com que este não morresse? Jesus, pois, movendo-se outra vez muito em si mesmo, veio ao sepulcro; e era uma caverna, e tinha uma pedra posta sobre ela. Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias. Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, pois, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste. E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.”
João 11:33-44


No coração da mensagem do evangelho está a verdade de que Cristo é aquele que faz o que eu jamais conseguiria fazer. As irmãs de Lázaro e todos os que acompanhavam o seu luto, tiveram neste dia a oportunidade de ver o evangelho ganhar vida diante dos seus olhos. Impressiona a compaixão do Salvador, expressa de forma material pelas lágrimas que lhe rolaram para face. Mas não nos podemos esquecer que neste texto Jesus é igualmente atingido no seu coração e nas suas emoções pela incredulidade dos que ali estavam. Nada aflige mais o coração do Deus de amor, que quer salvar, do que a incredulidade voluntária dos homens. Mas o poder de Deus para dar vida é maior do que a teimosia daquele que recusa a fé. Jesus desafia Marta a lembrar-se daquilo que ela já tinha aprendido. Há um tempo para aprender e um tempo para aplicar o que se aprendeu. A misericórdia de Deus faz com que não pereçamos por causa do nosso esquecimento, e a Sua graça manifesta-se num amoroso ministério de repetição de verdades de que devíamos já ser mestres. Devemos crer em Deus não apenas de vontade. Devemos crer em Deus não a uma distância segura, num lugar em que nada nos poderá acontecer (isso é o mínimo que a nossa carne exige). Devemos crer em Deus de maneira a podermos ver a manifestação da Sua glória. Retirar aquela pedra foi um risco. A fé assume riscos. Aquele que se coloca nas mãos poderosas de Deus corre o risco de ver a maravilhosa glória do Seu rosto.

domingo, 12 de março de 2017

(Devocional) Todos temos um dom - Ex. 31:1-11


Domingo, 12 de Março de 2017
Leitura Bíblica Diária: Êxodo 31-35
Todos temos um dom

“Depois falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Eis que eu tenho chamado por nome a Bezalel, o filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, E o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência, em todo o lavor, Para elaborar projetos, e trabalhar em ouro, em prata, e em cobre, E em lapidar pedras para engastar, e em entalhes de madeira, para trabalhar em todo o lavor. E eis que eu tenho posto com ele a Aoliabe, o filho de Aisamaque, da tribo de Dã, e tenho dado sabedoria ao coração de todos aqueles que são hábeis, para que façam tudo o que te tenho ordenado. A saber: a tenda da congregação, e a arca do testemunho, e o propiciatório que estará sobre ela, e todos os pertences da tenda; E a mesa com os seus utensílios, e o candelabro de ouro puro com todos os seus pertences, e o altar do incenso; E o altar do holocausto com todos os seus utensílios, e a pia com a sua base; E as vestes do ministério, e as vestes sagradas de Arão o sacerdote, e as vestes de seus filhos, para administrarem o sacerdócio; E o azeite da unção, e o incenso aromático para o santuário; farão conforme a tudo que te tenho mandado.”
Êxodo 31:1-11


O tabernáculo era uma obra tão especial! O Senhor queria estar presente bem no meio do Seu povo. Essa presença estaria na tenda especial que seria edificada para o efeito. Todo o mobiliário, utensílios e dimensões foram cuidadosamente dados a Moisés. O Senhor indica inclusivamente a pessoa que tinha sido por Ele especialmente qualificada para a produção das peças mais delicadas. Aprendemos aqui que Bezalel recebeu dons especialmente para a ocasião. A presença de Deus está manifestada nos dias de hoje no mundo de uma forma ainda mais especial. Deus não se encontra por detrás das paredes de uma tenda inacessível. O Senhor está no coração de todos os que já se reconciliaram com Ele através de Jesus. Ele concede a todos os que são Dele dons especiais para serem usados para a Sua glória. Todos os cristãos têm pelo menos um dom especial dado por Deus. Encontrar, desenvolver e colocar em prática o nosso dom, é algo maravilhoso! É trágico quando o dom de Deus é investido neste mundo passageiro e não em algo eterno. Também temos de evitar os momentos em que a nossa carne quer receber glória por aquilo que nos foi dado. Assim, devemos em primeiro lugar encontrar o nosso dom. Depois, devemos usá-lo naquilo que for a vontade de Deus. Finalmente, temos de dar a Ele toda a glória. A verdadeira adoração acontece quando damos a Deus aquilo que amamos, porque O amamos mais.